Villa: Bolsonaro não pode governar o país pensando em 2022

  • Por Jovem Pan
  • 24/01/2020 08h13 - Atualizado em 24/01/2020 08h18
Alan Santos / Presidência da RepúblicaHá uma teoria da conspiração em torno do planalto afirmando que Moro estaria se preparando para 2022, o que tem desestabilizado a relação do chefe de executivo com o ministro

Jair Bolsonaro rejeitou, nesta sexta-feira (24), qualquer possibilidade de desmembrar o Ministério da Justiça, comandada por Sergio Moro.

O presidente falou aos jornalista ao chegar à Nova Déli, na Índia, onde cumprirá agenda oficial. A mudança desmembraria a pasta se dividiria entre a Justiça e a Segurança Pública, deixando Moro com poder “esvaziado”.

Na visão do historiador Marco Antonio Villa, é bom ressaltar que quem plantou essa notícia foi o próprio presidente da república. “Não é conspiração da imprensa. Foi ele quem falou que iria desmembrar, ele quem disse que o Moro não iria gostar e ele quem foi em uma reunião com os secretários de segurança sem que o Moro estivesse presente”, analisa.

Há uma teoria da conspiração em torno do Planalto afirmando que Moro estaria se preparando para 2022, o que tem desestabilizado a relação do chefe de executivo com o ministro. “Eu acho um nome forte. Aliás, eu e toda a torcida do Flamengo. Mas um presidente da república não pode governar o Brasil pensando em 2022, ele tem que pensar no hoje”, afirma Villa. “Antecipar a sucessão presidencial é muito ruim para o País.”