Villa: Ninguém quer atingir o presidente, foco de investigação é Flávio Bolsonaro

  • Por Jovem Pan
  • 17/05/2019 07h44
Marcos Oliveira /Agência SenadoNão há nenhuma tentativa de atingir o presidente da República

Jair Bolsonaro repercutiu a quebra dos sigilos bancário e fiscal do filho, Flávio, e afirmou que se trata de manobra para atingi-lo. O presidente ainda reforçou que não teria problema de expor seus dados.

Quebra de sigilo também atinge dois ex-assessores de Carlos Bolsonaro no Rio de Janeiro. Márcio e Claudionor Gerbatim, ligados também ao ex-policial militar Fabrício Queiroz, passaram pelo gabinete do vereador carioca.

A investigação sobre transações financeiras de Flávio também atinge familiares da ex-mulher de Jair Bolsonaro. Nove parentes de Ana Cristina Valle, com quem o presidente viveu por dez anos, tiveram os sigilos bancário e fiscal quebrados.

“Vamos aos fatos. Não há nenhuma tentativa de atingir o presidente da República. Foi solicitada a quebra de sigilo de 86 pessoas. Todas as ilações políticas são feitas sem que tenhamos conhecimento do que há nessas quebras de sigilo. O que há de fato é o indício de lavagem de dinheiro cometido por Flávio Bolsonaro. A argumentação de Bolsonaro é igual a de Dilma e Lula. Ninguém quer atingir o presidente. O foco é seu filho, mas se tem preocupação com o que consta nos extratos bancários, aí é outra coisa”, diz Marco Antonio Villa.

Confira o comentário completo: