Constantino: Com Biden e Sanders fora da jogada, Warren deve candidata nos EUA

  • Por Jovem Pan
  • 03/10/2019 09h49
EFEElizabeth Warren é uma das três principais pré-candidatas dos democratas

O senador e pré-candidato democrata à Presidência dos Estados UnidosBernie Sanders, foi submetido a uma cirurgia nesta quarta-feira (2) por causa de uma artéria entupida no coração. Sanders estava viajando para um Fórum sobre armas em Las Vegas quando passou mal. O político de 78 anos foi internado e forçado a cancelar, temporariamente, os compromissos de campanha.

“A questão da saúde do Bernie Sanders é muito importante para a corrida eleitoral, porque tem, basicamente, tres pré-candidatos dos mais de 20 do partido democrata que tem chances concretas: Sanders, Elizabeth Warren e Joe Biden. Apesar de o procedimento cirúrgico feito por Sanders ser simples, ele tem 78 anos – cinco a mais do que o Donald Trump, apenas, mas parecem 15 em termos de energia e postura. Isso é algo que os americanos levam muito a sério, a questão de saúde dos candidatos, e isso praticamente o tira da corrida eleitoral na minha opinião. Mostra a fragilidade de sua saúde, que ele não tem mais realmente a mesma energia, e aumenta muito as chances de Warren , que já tinha encostado, nas últimas pesquisas, em Biden, que vem se enfraquecendo após a questão da Ucrânia.

Apesar de ser usada para justificar um impeachment de Trump, as conversas acabaram em um efeito boomerang e destruindo o próprio Biden, uma vez que o atual presidente norte-americano trouxe a tona a questão do Hunter Biden, que é o filho de Joe e ganhava um salário de US$ 50 mil em uma empresa de energia da Ucrânia sem nada entender do setor.

Então toda a questão que está envolvendo a Ucrânia, a ligação do Trump com o presidente de lá, Volodymir Zelensky, que é o pretexto dos democratas para falar mais uma vez em impeachment, acabou se voltando contra o próprio Biden. Então com a saúde frágil de Sanders e Biden que também é apático e não convence as bases militantes do partido democrata, que estão cada vez mais radicais – ele é visto como moderado, vice-presidente do Obama, que ninguém mais se empolga tanto em defender o legado – resta a professora de direito de Harvard, que era moderada no passado e, cada vez mais, tem uma história radical-extremista.

Além de Warren ter a história de Pocahontas, em que ela se diz indígena para pegar uma casquinha das minorias – algo ridículo e que certamente Trump usará contra ela – e que, agora, tem como grande plataforma ir atrás das grandes empresas e milionários, com um projeto de taxar os ricos”, disse Constantino.