Constantino: Defender família Bolsonaro contra CPI da Lava Toga é ‘fé cega’

  • Por Jovem Pan
  • 16/09/2019 09h58
Reprodução/FlickrEles querem proteger a família, que está em situação delicada com Flávio

“A Lava Toga tem que ir adiante. O senador Alessandro Vieira deu, inclusive, uma resposta muito dura por meio do Twitter, respondendo a um vídeo do Eduardo Bolsonaro, que divulgou um vídeo contra a CPI. O Bolsonarismo comprou muito essa briga, falando que é ruim neste momento, para o país, ter essa CPI, que vai gerar tensão entre os poderes, seria até inconstitucional – o que é mentira, Janaina Paschoal e Modesto Carvalhosa já negaram isso. Então o bolsonarismo vai escalando essa narrativa, e todo mundo que, hoje em dia, continua apoiando a Lava Jato, e agora a questão da Lava Toga, e o combate à corrupção, vai se passando a virar inimigo do bolsonarismo porque a gente sabe que, no fundo, eles querem proteger mesmo a família, que está em situação delicada com o senador Flávio Bolsonaro.

Então houve um racha muito grande na direita, o Eduardo, como eu disse, recebeu ma resposta muito dura do senador Alessandro Vieira, que está tentando levar adiante essa CPI. Falou que Eduardo é cara de pau, covarde, que está de ‘mimimi’, usou uns termos bem duros para ele que está, justamente, boicotando esse combate à corrupção. O STF tem abusado muito do poder e precisa, sim, ter uma investigação para esses ministros que estão usando inquéritos com muito abuso de poder, de forma muito arbitrária, o que é muito preocupante.

Há pouco tempo atrás, a narrativa bolsonarista era que o Supremo Tribunal Federal era o grande inimigo do país e agora eles estão, justamente, fazendo vista grossa para essa suposta aliança entre o presidente Jair Bolsonaro e o ministro Dias Tofolli. Agora, alguns youtubers racharam de vez, colocaram lenha na fogueira, tivemos um fim de semana bem agitado nos bastidores do mundo digital da direita e aí o guru da turma, Olavo de Carvalho, gravou um vídeo convocando a turma a criar uma ‘miltância organizada em prol do Bolsonaro’. Ele falou que, em política, não valem ideias, e sim pessoas. Vamos defender a pessoa, não importa o que ela faça ou diga, aparentemente. Quem estudou história vai saber que, de fato, isso remete muito a um certo movimento coletivista que endeusava figuras, e não ideias, na Itália e na Alemanha na década de 1930. Os bolsonaristas estão ampliando sua fé cega e lealdade plena ao governante não importa o que ele faça”, avaliou Constantino.