Rodrigo Constantino: De quem é a culpa pelo fechamento da Ford

  • Por Jovem Pan
  • 21/02/2019 21h06 - Atualizado em 21/02/2019 21h07
Reprodução/Google MapsNinguém gosta de notícia de encerramento de atividades e demissão. Mas, em primeiro lugar, é importante frisar que isso faz parte da dinâmica do capitalismo, com sua “destruição criadora”, como falava Schumpeter.

A Ford anunciou que pretende fechar sua fábrica no ABC, o que deverá resultar numa demissão de quase três mil funcionários. A fábrica é a mais antiga em operação da montadora no Brasil. A montadora disse que a decisão faz parte de um esforço para voltar a lucrar na América do Sul. Em balanço referente ao ano passado, a Ford apresentou prejuízo de US$ 678 milhões na região.

Ninguém gosta de notícia de encerramento de atividades e demissão. Mas, em primeiro lugar, é importante frisar que isso faz parte da dinâmica do capitalismo, com sua “destruição criadora”, como falava Schumpeter.

A alternativa a se fechar uma fábrica ineficiente é colocar em risco todos os milhares de empregos da montadora. Sim, porque o prejuízo será crescente até o dia em que operações lucrativas terão de arcar com o custo e se tornarem também deficitárias. Seria uma espécie de Maquiavel às avessas: para salvar 3 mil empregos hoje, colocaria em perigo uns 30 mil amanhã!

Mas no caso da Ford no ABC sequer podemos falar de decisões naturais do sistema capitalista. É fundamental entender que há fatores conjunturais e estruturais por trás dessa decisão. E ambos apontam para o suspeito de sempre: o PT. Comecemos pelo fator conjuntural: o Brasil viveu a pior recessão das últimas décadas recentemente, e ela foi produzida pelos governos petistas de Lula e Dilma. A inflação voltou a subir, o desemprego disparou para quase 15 milhões, e claro que a Ford seria afetada por esse ambiente.

Já o lado estrutural tem ligação com as nossas leis trabalhistas, infraestrutura, burocracia e carga tributária, ou seja, tudo aquilo que forma o tal Custo Brasil. E quem é o culpado por isso? Ora, novamente o PT, com seu braço sindical. A esquerda em geral e o petismo em particular sempre fizeram de tudo para impedir mudanças nesse sentido, para tornar o ambiente de negócios no Brasil mais competitivo.

Como estamos inseridos num contexto global, a Ford sente o golpe e precisa tomar decisões duras, levando em conta opções de investimento em todo o mundo.

Os sindicalistas criaram, em suma, os monstros que agora os devoram. Claro que vão continuar culpando o capitalismo em si, a globalização e demais bodes expiatórios. Se essa gente aprendesse alguma coisa com seus erros passados deixava de ser de esquerda…