MDB deve puxar o tapete de Meirelles em mais uma aula de “Realpolitik”

  • Por Jovem Pan
  • 10/05/2018 09h22
FELIPE RAU/ESTADÃO CONTEÚDOEx-ministro da Fazenda estava crente de que seria candidato, mas já deveria estar mais escaldado

Se o presidente Michel Temer já avisou a aliados que não tentará a reeleição, o pré-candidato do MDB e ex-ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, ainda hesita em deixar a corrida pelo Palácio do Planalto, informa Vera Magalhães.

Meirelles, que deixou o PSD para ir ao partido do presidente, foi cativado pela conversa de que teria chance de ser o nome da sigla, mas agora vê entrar em cena os pragmáticos emedebistas de sempre. Em entrevista nesta quinta (10) ao Estadão, o senador Romero Jucá diz claramente que nem Meirelles nem Temer seriam “obstáculos” ou “empecilhos” às negociações do MDB para aliança com outra chapa. Jucá defende a convergência dos partidos de centro e o apoio a quem tiver mais chances de chegar ao segundo turno.

Agora falta colocar o guizo no rabo de Meirelles, que já deveria ser um gato mais escaldado. O PSD de Kassab lhe puxou o tapete na “hora H”. Agora, aparentemente, o mesmo deve acontecer no MDB.

Crente de que seria candidato, o ex-ministro da Fazenda já montava equipe com marqueteiro e assessor de imprensa.

Mas no MDB, um partido de profissionais, há raposas como Jucá, que pensam primeiro nos interesses de manutenção da capilaridade da sigla, com as bancadas no Congresso.

Meirelles deve ganhar mais uma aula de “Realpolitik”.