Vera Magalhães: Governo nota tom excessivo e Bolsonaro deve se reunir com líderes e legendas

  • Por Jovem Pan
  • 26/03/2019 07h54
Alan Santos/PROs arranjos básicos que deveriam ser feitos ainda estão em espera, mas devem passar por articulação política racional e pragmática para que a reforma avance

O Governo tenta sair das cordas na articulação política e começou a semana percebendo que o tom nos últimos dias têm sido excessivo.

O presidente Jair Bolsonaro pediu para que o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, entrasse em campo e articulasse reuniões suas com líderes e presidentes de legendas. Vale lembrar que o presidente disse que não faria articulações desta forma, então é uma virada de página.

A briga entre Kim Kataguiri e Joice Hasselmann, além da “invertida” recente de Major Vitor Hugo foram vistas como inexperiência por parte dos líderes escolhidos pelo presidente.

Agora é preciso definir um relator para a reforma da Previdência na Comissão de Constituição e Justiça. Os arranjos básicos que deveriam ser feitos ainda estão em espera, mas devem passar por articulação política racional e pragmática para que a reforma avance.

Economia real

Há uma mudança de tom entre ontem e hoje. O Governo mostra preocupação em mostrar ganhos abstratos e reais. O presidente fez série de postagens falando da geração de empregos formais nos últimos dois meses, que deu um salto.

Da mesma maneira, o porta-voz do Governo fez um briefing com os aspectos virtuosos da última semana que não tiveram destaque, segundo o Planalto, na imprensa.

Um ministro vem sendo visto como “preferido” nos últimos dias e recebendo elogios. É o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas.

Confira o comentário completo de Vera Magalhães: