Vera Magalhães: Há uma ‘nuvem’ em cima do caso Flávio Bolsonaro

  • Por Jovem Pan
  • 21/01/2019 07h56
Fábio Motta/Estadão ConteúdoEsse caso está todo mal explicado, mas as redes sociais já mostram um grande desgaste em cima do filho do presidente

Flávio Bolsonaro concedeu três entrevistas em três dias para explicar o caso Fabrício Queiroz e revelações que envolvem seu nome. A sucessão de entrevistas, porque a na primeira ele não fez menção ao que foi revelado pelo Jornal Nacional no mesmo dia.

Os depósitos divididos em 2017 não foram mencionados na entrevista à Record. Ele voltou à emissora no domingo e também falou à RedeTV. Ele disse que os depósitos foram feitos na agência bancária da Alerj e que vinham de um mesmo casal para quem vendeu um imóvel.

Fica uma nuvem em cima deste caso. Ele não explicou antes e agora cita esses imóveis, além de negar a “rachadinha” em seu gabinete.

É preciso dizer, entretanto, que pedir relatórios do Coaf não caracteriza quebra de sigilo bancário. Esse caso está todo mal explicado, mas as redes sociais já mostram um grande desgaste em cima do filho do presidente.

Governo tenta se dissociar

Há a tentativa de dissociação do caso por parte do Planalto. Quando o caso apareceu, o presidente e seus filhos não se pronunciaram. Já o general Mourão minimizou o caso e disse que não há relação com o Governo Federal.

A enorme exposição dos filhos e ascendência deles em áreas do Governo preocupam os militares. Eduardo Bolsonaro na área de Relações Internacionais e Carlos na de Comunicação do Governo. Mas a gente sabe que essa mistura entre família e Governo não é das melhores.

Confira o comentário completo de Vera Magalhães: