Vera Magalhães: Postagem de Bolsonaro gera reações e constrangimento dentro do Governo

  • Por Jovem Pan
  • 07/03/2019 08h10
Alan Santos/PRNão há razão, entretanto, para se falar em impeachment em dois meses de Governo

O tuíte do presidente Jair Bolsonaro contendo vídeo escatológico causou repercussão nas redes sociais, entre políticos e também na comunidade internacional. O clima no Governo nesta quarta-feira (06) era de incredulidade em relação às postagens do presidente – tanto o vídeo quanto ao termo “golden shower”.

O clima de constrangimento foi maior, principalmente, entre os militares, que não gostam desse tipo de padrão que foge à liturgia do cargo. Os militares fizeram chegar ao presidente que o vídeo era chocante e inapropriado, por isso o Palácio do Planalto soltou uma nota oficial para explicar o tuíte do presidente.

O monitoramento interno de redes do palácio constatou que a maioria das reações à postagem era negativa. Houve críticas entre pessoas do campo da direita, como Kim Kataguiri, Miguel Reale Jr. e outros, o que levou o Planalto a explicar que o objetivo do presidente não era estigmatizar o Carnaval. A ideia agora é abafar o episódio e tratar de outros temas.

Em centenas de tuítes, poucos tratam da reforma da Previdência e do projeto anticrime de Sergio Moro. Os principais são críticas à esquerda, ao PT, e que tratam de gênero e ideologias.

Impeachment de Bolsonaro?

Não acredito que se consiga. A oposição pode até protocolar, mas é um exagero. Não há razão para se falar em impeachment em dois meses de Governo. Não é diferente do que Itamar Franco já realizou ao ir ao Carnaval e aparecer ao lado de mulher sem calcinha.

O que espanta são os acólitos, que fizeram o presidente cair na esparrela de fazer o presidente realizar a postagem absolutamente inapropriada.

Confira o comentário completo de Vera Magalhães: