Vera: Não há necessidade de Bolsonaro invocar Forças Armadas; Brasil vive normalidade

  • Por Jovem Pan
  • 23/10/2019 08h12
Flickr/Palácio do PlanaltoPresidente pediu para que militares ficassem preparados para manifestações no Brasil

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) anunciou, na manhã desta quarta-feira (23), que conversou  com o ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, pedindo para que as Forças Armadas estejam preparadas para atuar nas ruas caso o Brasil registre manifestações como as que estão ocorrendo, atualmente, no Chile e outros países da América Latina.

Não é ruim que a inteligência brasileira esteja atenta, já que o trabalho de monitorar e antecipar possíveis situações como essas são algumas de suas atribuições. Apesar disso, o discurso do presidente – que inclui um medo de “volta da esquerda” ao poder – é perigoso, uma vez que os protestos ao redor do mundo nada tem a ver com o Brasil, que vive um momento de extrema normalidade.

Enquanto o México se manifesta contra o narcotráfico, o Líbano contra a taxação de serviços públicos e o Chile por uma série de dificuldades em questões ligadas aos servidores públicos e a economia, a Bolívia está focada nas eleições e, no Brasil, nada de muito gritante acontece. Por aqui, os poderes funcionam normalmente: Parlamento, Supremo Tribunal Federal (STF) e poder Executivo, todos estão exercendo sua normalidade democrática.

A escalada de protestos internacionais tem muito mais a ver com o momento do mundo, em que protestos são convocados pelas redes sociais e acabam com estopins variados e consequências imprevisíveis – como já aconteceu por aqui – do que com o Brasil. É preciso monitorar, mas não criar paranoias.