5 mitos sobre a escolha profissional

  • Por Leo Fraiman/ Jovem Pan
  • 26/03/2014 11h28 - Atualizado em 20/09/2017 09h37
Governo regulamenta profissões da área de beleza

 

Existem profissões que dão mais dinheiro que outras? Há uma profissão específica para homem e outra específica para mulher? Faculdade pública é melhor que faculdade privada? Essas e outras dúvidas fazem parte da rotina dos estudantes, que se deparam com muitos mitos quando pensam em escolher uma carreira profissional. Vamos desmistificar os mais comuns?

 

  1. Algumas profissões dão mais dinheiro que outras? MITO!

É verdade que profissionais de uma determinada área podem receber salários mais altos, mas isso não está diretamente ligado com a profissão escolhida, mas sim com o profissional que está exercendo a função.

  1. Existe uma profissão indicada apenas para mulheres e outra apenas para homens? MITO!

Todas as profissões são adequadas tanto para homens como para mulheres. Não há nenhum fator biológico que impossibilite homens e mulheres de praticarem a mesma função. Deve-se levar em conta sempre as aptidões e os interesses.

  1. A escolha profissional determina o que eu farei pelo resto da vida? MITO!

A vida é longa e cheia de possibilidades. Uma escolha profissional feita aos 17 anos, por exemplo, pode mudar algumas vezes durante a vida e isso não tem problema algum. É importante descobrir outras áreas de interesse e continuar ativo nos estudos e no mercado de trabalho, explorando várias opções.

  1. Faculdades públicas são sempre melhores que faculdades particulares? MITO!

Nem sempre! A melhor maneira de decidir se a faculdade é boa na área de interesse é pesquisando: grade curricular, professores, cursos extra-curriculares oferecidos, oportunidades acadêmicas (como intercâmbios, por exemplo) , infraestrutura e outros aspectos que constituem uma boa faculdade.

  1. Seguir a profissão dos pais é garantia de sucesso? MITO!

O sucesso em uma escolha profissional não é hereditário, ou seja, não é porque o pai foi bem sucedido em uma profissão que o filho também será. É preciso buscar uma área com a qual se tem afinidade para crescer dentro dela, independente de escolhas da família.

Leo Fraiman é psicoterapeuta (CRP 06/40544), mestre pela USP, especialista em psicologia educacional, palestrante, escritor e acaba de lançar os livros “Projeto de Vida 100 Dúvidas”, “GPS Profissional”, “Como Ensinar Bem” e a revista “ Kit Vestibular Sem Medo e Sem Stress”.

Colaboração: Débora Fiorini, jornalista.