Trump encerra primeira temporada de O Aprendiz na Casa Branca

  • Por Caio Blinder/Jovem Pan Nova Iorque
  • 25/03/2017 16h54
Donald Trump - EFE

Governar é mais difícil do que obstruir o governo ou fazer encenações políticas. Donald Trump acaba de declarar encerrada a primeira temporada de O Aprendiz na Casa Branca, com apenas dois meses de performance.

Ouça o comentário completo AQUI.

Na sexta-feira, ele o o Partido Republicano sofreram uma derrota retumbante ao retirarem de votação na Câmara dos Deputados o plano de saúde para substituir o Obamacare, justamente no sétimo aniversário da assinatura da marca registrada do ex-presidente.

A mitológica capacidade de Trump para fechar negócios se revelou um fiasco. E os republicanos, embora com a maior maioria partidária na Câmara desde 1928, não se acertaram entre eles para aprovar o plano remendado de todos os lados para satisfazer as alas radicais e moderadas.

A sexta-feira foi o dia mais importante deste mandato de Trump iniciado em 20 de janeiro. Vencer é tudo para este ególatra marqueteiro e ele queria cumprir a promessa de campanha de rechaçar e substituir o Obamacare. Agora, como é o seu hábito de mentiroso patológico, Trump diz que nunca prometeu que isso aconteceria a toque de caixa.

O sistema de saúde é um vespeiro. Obama sentiu isso na pele em 2010. O Obamacare garantiu seguro a milhões de americanos, mas os custos dispararam. Já em 2010, os democratas perderam o controle da Câmara. E em parte o Obamacare explica a derrota de Hillary Clinton nas eleições de novembro passado.

As propostas alternativas dos republicanos, no entanto assustam, com as projeções de custos altos, corte dos impostos aos mais ricos para bancar o projeto e menos serviços. Uma pesquisa esta semana revelou que o plano apelidado de Trumpcare tinha apoio de apenas 17% dos americanos.

Em uma declaração cara de pau, bem ao seu estilo, Trump culpou os democratas pelo fracasso legislativo, vislumbrou um cenário apocalíptico para o Obamacare, que continua sendo a lei em vigor, mas acenou com negociações bipartidárias para costurar um novo plano.

A eleição de Trump foi uma surpresa. O caos do seu governo bem menos. Imaturo, movido a mentiras e incoerente nas propostas, o presidente prefere fazer comícios para sua base, tuitar e jogar golfe. O fiasco do Trumpcare se soma a escândalos de conflito de interesses e investigações sobre possível conluio de sua campanha eleitoral com os russos.

São crises que deveriam ensinar alguma coisa ao novo presidente, mas difícil imaginar que este aprendiz absorva alguma lição.