Turma do Supremo poderia aliviar julgamentos da Lava Jato

  • Por Jovem Pan
  • 04/11/2016 13h15
Toffoli

Ministros do próprio Supremo Tribunal Federal que não gostaram do pedido de vistas de Dias Toffoli, que adiou votação que poderia comprometer o cargo de presidente do Senado Renan Calheirostambém avaliam que os julgamentos da 2ª Turma do STF podem maneirar contra políticos e pessoas com foro privilegiado investigados na Operação Lava Jato.

A turma é composta pelo relator da Lava Jato, ministro Teori Zavascki, o decano Celso de Mello, e os ministros Dias Toffoli, Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski, este último que deixou a presidência do Supremo há pouco tempo.

Vamos nos preparar para ver muitos julgamentos por 3 a 2 na segunda turma, espera o ministro contrariado. O suposto alinhamento no sentido de apaziguar e maneirar em algumas decisões da Lava Jato podria ocorrer entre Toffoli e Mendes, que têm votado sempre juntos, e Lewandowski.

Vale ficar de olho, tento em vista fala o senador que pode se tornar líder do governo, Romero Jucá (PMDB-RR), que disse que se Temer assumisse a Presidência haveria um grande acordo, envolvendo o Supremo, para a contenção da Lava Jato, em áudio vazado em maio na delação de Sérgio Machado, ex-presidente da Transpetro.

As informações são da colunista Jovem Pan Vera Magalhães.