Gestores de hospitais privados buscam eficiência para minimizar gargalos no setor da saúde

  • Por Jovem Pan
  • 12/11/2018 07h14 - Atualizado em 12/11/2018 08h52
PixabayMiguel Cendoroglo Neto, diretor médico e superintendente do Hospital Israelita Albert Einstein e presidente da comissão científica do Congresso, apontou que o problema vai além dos hospitais

Garantir mais saúde para o setor de saúde. Esse é o foco dos hospitais privados brasileiros, que discutem eficiência, redução de desperdício e gestão. O assunto foi discutido na última semana, em São Paulo, na sexta edição do Congresso Nacional de Hospitais Privados.

A ideia dos organizadores é pegar experiências de sucesso pelo Brasil e mundo afora em gestão ética e transparente de saúde.

Martha Oliveira, diretora-executiva da Associação Nacional de Hospitais Privados, apontou que eficiência é assunto discutido em todo o mundo, sobretudo na saúde. Para a especialista, dentro dessa área, três eixos podem ser mais eficientes.

A gestora explicou que é necessário aos órgãos de saúde, incluindo os públicos, responder a uma pergunta central: como fazer gerar mais valor? Até porque, segundo Martha Oliveira, são vários os gargalos que fazem a eficiência, os recursos e até mesmo vidas, serem perdidas.

Miguel Cendoroglo Neto, diretor médico e superintendente do Hospital Israelita Albert Einstein e presidente da comissão científica do Congresso, apontou que o problema vai além dos hospitais. É preciso olhar múltiplo com serviços de saúde, prestadores, indústria de material e medicamentos, operadoras e agências regulatórias, por exemplo.

Para estimular as novidades, empresas do ramo de tecnologia e startups com foco em soluções para eficiência em saúde também apresentam suas ideias e produtos aos 113 membros da Associação.

Dentre as startups, a que apresentar a maior inovação ganhará R$ 15 mil em serviços para seu desenvolvimento.

*Informações do repórter Fernando Martins