Imposto para dólar, demissões mais caras: Fernández anuncia medidas para conter crise na Argentina

  • Por Jovem Pan
  • 16/12/2019 07h26 - Atualizado em 16/12/2019 07h36
EFEDe acordo com o governo argentino, a grave situação das finanças públicas exige medidas urgentes

O presidente da Argentina, Alberto Fernández, anunciou, neste final de semanas, novas medidas econômicas para o país. Ele estabeleceu, por exemplo, um imposto de 30% para compras em dólar feitas por argentinos no exterior. A medida incluirá compras de passagens e pagamentos de serviços em outros países, como plataformas de streaming.

A informação foi confirmada pelo chefe de gabinete, Santiago Cafiero. Segundo ele, os argentinos que viajam para fora do país para fazer compras têm o dever de contribuir.

Fernández também decidiu aumentar os impostos sobre as exportações agrícolas. Por decreto, ele fixou uma taxa de 9% em substituição aos quatro pesos por dólar exportado, que estava em vigor até o momento, sobre produtos agropecuários, entre eles os grãos.

A Argentina é a principal fornecedora de trigo e farinha do Brasil e a decisão pode deixar o produto mais caro para a indústria brasileira. Os ministérios da Agricultura e da Economia ainda estudam o impacto da iniciativa.

De acordo com o governo argentino, a grave situação das finanças públicas exige medidas urgentes.

Ainda neste final de semana, o aumento no custo para a demissão de trabalhadores também foi anunciado. O governo estabeleceu o pagamento de uma dupla indenização para as demissões sem justa causa. O decreto tem validade por um período de 180 dias.

As medidas têm como objetivo arrecadar fundos para, entre outras coisas, o pacote de assistência aos mais humildes e aos aposentados, que será tratado pelo Congresso a partir da próxima semana.

*Com informações da repórter Letícia Santini