Mulher joga filha de 4 anos pela janela e pula de 5º andar de prédio na zona oeste de SP

Ainda não se sabe o que motivou a mãe a jogar a própria filha pela janela e tentar o suicídio

  • Por Jovem Pan
  • 24/05/2019 05h46 - Atualizado em 24/05/2019 10h47
Reprodução/Google MapsEm determinado momento, Fernanda ateou fogo no sofá e na cortina e, em seguida, pulou pela janela

Uma mulher jogou a própria filha de 4 anos pela janela e pulou do quinto andar de um edifício na região do Rio Pequeno, na Zona Oeste de São Paulo. A atitude desesperada da mulher ocorreu no início da madrugada desta sexta-feira (24) em um condomínio localizado na Avenida Corifeu de Azevedo Marques, na Vila São Francisco.

Inicialmente, a moradora, Fernanda Fernandes e cerca de 30 anos de idade, lançou a filha, Teodora Garcia Barbosa, pela janela. A criança caiu sobre o para-brisas do veículo de um morador que havia acabado de chegar no estacionamento do condomínio e, segundo o Corpo de Bombeiros, não sofreu ferimentos graves.

A menina foi atendida no local pelas equipes de resgate e encaminhada ao Hospital das Clínicas. Após jogar a filha, a moradora permaneceu até por volta das duas horas da madrugada na janela do apartamento, ameaçando pular.

Policiais do GATE, o Grupo de Ações Táticas Especiais da PM, especializados em situações de risco, tiveram de ser acionados. Dois homens do Corpo de Bombeiros se posicionaram na janela de um apartamento em um andar acima, de onde tentavam convencer Fernanda a não saltar.

Outros bombeiros permaneceram na porta do imóvel.

Em determinado momento, Fernanda ateou fogo no sofá e na cortina e, em seguida, pulou pela janela.

A jovem foi atendida pelos paramédicos e encaminhada, também, ao Hospital das Clínicas, com ferimentos graves, mas, segundo os bombeiros, não corre risco de morte.

Ainda não se sabe o que motivou a mãe a jogar a própria filha pela janela e tentar o suicídio. De acordo com vizinhos, Fernanda é divorciada e reside no prédio há alguns meses, apenas com a criança.

O delegado plantonista do 91º Distrito Policial, da Vila Leopoldina, apura o caso.

*Informações do repórter Paulo Édson Fiore