Venda de ativos e mercado interno podem ajudar a recuperar caixa da Petrobras

  • Por Jovem Pan
  • 14/01/2016 08h04
Petrobras

 Além de vender ativos, a Petrobras terá que contar com o mercado interno para recompor o caixa, é o que dizem os especialistas. A estatal, drasticamente abalada pela corrupção e má administração, tenta uma recuperação após ver seu valor de mercado despencar.

O professor Marcos Fava Neves, da Faculdade de Economia e Administração da USP, diz que decisões erradas levaram ao quadro obscuro. O docente da Universidade de São Paulo analisa que, diante do preço baixo do petróleo no mercado internacional, é preciso recorrer à venda interna: “Ela vai recompor o caixa com o preço da gasolina que no Brasil está mais alto. Isso é um ponto positivo para ela, a queda do preço do petróleo nesse sentido. Por outro lado, como ela é uma empresa petroleira, com a perspectiva de baixos preços do petróleo, seus ativos ficam mais desvalorizados e com isso tem menos interesse de compradores”.

O professor do Insper, Eric Barreto, indica que este não é um bom momento para a Petrobras se desfazer de ativos. Em entrevista ao repórter Daniel Lian, o especialista enfatiza que, observando a dívida, não há como esperar um período melhor: “Ela tem um endividamento muito grande e isso causa desconfiança no mercado e até um certo risco para a companhia no médio e longo prazo. Para diminuir essa dependência de dívida a empresa e obrigada a desinvestir”.

A Petrobras deve anunciar nos próximos dias o processo de venda de sua participação total na petroquímica Braskem. A fatia de 36% da estatal vale atualmente cerca de R$ 5,8 bilhões.