‘A vida tem que voltar ao normal’, diz Ricardo Nunes sobre eventos após 70% da população vacinada

Em entrevista ao Morning Show, prefeito de São Paulo deu detalhes sobre projeto de retomada previsto para o final do ano

  • Por Jovem Pan
  • 08/07/2021 13h14
Reprodução/Jovem PanRicardo Nunes, que governa desde maio a prefeitura de São Paulo, antecipou o calendário de vacinação da cidade

Na última semana, o atual prefeito de São Paulo anunciou que pretende realizar eventos como Réveillon, Carnaval e Lollapalooza nos próximos meses. Em entrevista ao Morning Show nesta quinta-feira, 8, Ricardo Nunes (MDB) disse que “a vida tem que voltar ao normal” e que os órgãos de saúde e a vigilância sanitária da cidade de São Paulo atuam para que a volta dos eventos de fato se concretize. “São Paulo é uma cidade de 12 milhões de habitantes. Não é imaginável que se faça Réveillon, Natal e Carnaval sem estratégias e estudos. Não quer dizer que vai ter, mas do jeito que as coisas estão se encaminhando, é possível que tenha e para isso estamos nos preparando. Imagine se a gente pudesse chegar no final do ano com mais de 70% das pessoas vacinadas e não conseguíssemos fazer porque está muito em cima? Se a gente puder realizar esse evento, a população de São Paulo tem o direito de tê-lo.” Nunes ainda anunciou que neste feriado municipal do dia 9 de julho, a cidade antecipará a vacinação da população de 38 anos. “No ritmo que está, devemos vacinar todo mundo em São Paulo até meados de agosto”, afirmou. “Quando chegar em 70% das pessoas vacinadas, a gente abre a Paulista e os parques em sua totalidade porque o mundo roda, a gente não tem que ficar parado. As pessoas têm que trabalhar, a vida tem que voltar à normalidade, não dá pra ficar pondo tudo culpa na pandemia.”

O político, que assumiu em maio a prefeitura de São Paulo, também comentou sobre as dificuldades em lidar com a morte de Bruno Covas (PSDB), de quem foi vice-prefeito e amigo. “Eu virei prefeito numa situação muito difícil, perder um amigo muito próximo foi muito difícil. Além da questão mental e emocional, eu estou focado em cuidar da cidade. A fidelidade é muito importante para a vida pública. Seria uma incoerência da minha parte dizer que viramos a página. Nós vamos continuar os capítulos dessa história. Em 2024 eu terminarei cumprindo o plano de metas que estabelecemos juntos nas eleições.”

Antes de sua candidatura em 2020 como vice da chapa Covas, Ricardo Nunes exerceu dois mandatos como vereador do município pelos quais ficou conhecido por seu posicionamento contra a ideologia de gênero. Sobre isso, afirmou que promove atuações práticas pela comunidade LGBT paulistana. ”Tem a questão do discurso e da prática, tem gente que faz discurso e na prática nada. O combate ao preconceito deve ser feito na prática. Fizemos um centro de acolhimento a homens trans com 60 vagas. Houve também a semana do Orgulho LGBT, onde recebi propostas da vereadora Erika Hilton, que é trans. Na prática a gente tem que fazer as coisas.”

O prefeito disse ser contra a polarização na política do país e que ainda não possui um candidato de preferência para a eleição de 2022. “Não descartaria nem Bolsonaro nem Lula nem ninguém. Estão muito longe as eleições. A polarização é algo que a gente precisa aprender, é uma democracia nova. Tenho muita tranquilidade nesse aspecto. Eu estou muito focado em cuidar da cidade. Sempre fui do diálogo na câmara, sempre fui combativo com o pessoal da esquerda, mas sempre com muito respeito.”

Confira na íntegra a entrevista com Ricardo Nunes: