Filósofo alemão era o quinto integrante dos Beatles? Especialistas debatem polêmica

Olavo de Carvalho virou piada ao dizer que Theodor Adorno era o verdadeiro compositor da banda

  • Por Jovem Pan
  • 13/09/2019 12h42
Jovem PanRegis Tadeu e Flavio Morgenstern foram os convidados do Morning Show desta sexta (13)

O filósofo alemão Theodor Adorno teve seu nome e obra revisitados nesta após semana uma reportagem do jornal britânico The Guardian. A publicação alfinetou com bom humor a análise feita pelo brasileiro Olavo de Carvalho, que afirmou que as letras dos Beatles foram escritas por Adorno, já que os quatro músicos não teriam capacidade para tal.

A bancada do Morning Show recebeu nesta sexta-feira (13) o crítico musical Regis Tadeu e o editor do site Senso Incomum Flavio Morgenstern, ex-aluno de Olavo, para debater a polêmica. Afinal, os Beatles eram tudo isso mesmo?

Morgenstern acha que não, classificando a fase “reis do iê iê iê” do quarteto como “analfabetismo musical grotesco”. “O Olavo tem uma visão muito negativa a respeito do rock. (…) Mas ele ainda está citando, falando que vai investigar [o assunto]. O que eu acho muito significativo é o uso que o marxismo fez em relação aos Beatles”, disse.

Regis Tadeu defende a banda rebatendo que o termo “analfabetismo musical” é usado para citar artistas que não sabem encadear acordes. “Exatamente o oposto do que os Beatles foram desde o primeiro disco”, explicou.

“O que o Olavo falou é uma bobagem intergalática, não dá nem pra comentar esse tipo de coisa. (…) As pessoas precisam entender que a gênese do rock é exatamente essa, foi um estilo musical que marcou uma diferença gritante em relação ao que acontecia nas gerações anteriores. O surgimento do rock fez com que pela primeira vez os filhos passassem a gostar de outro tipo de música [diferente] dos pais”, ressaltou Tadeu.