Cissa Guimarães fala sobre habeas corpus: "o que me deixou triste foi a rapidez"

  • Por Jovem Pan
  • 30/01/2015 11h38
Reprodução

Depois da liberação de Rafael Bussamra e seu pai, Roberto Bussamra, nesta quarta-feira (28), Cissa Guimarães falou sobre a condenação e o pedido de habeas corpus. “A sentença foi bastante inédita, foi uma quebra de paradigma que sentenciou o pai e o filho”, disse. Segundo ela, os atropelamentos raramente terminam em prisão, e a pena máxima é curta, de quatro anos. Já o crime de corrupção tem uma pena maior. Roberto foi condenado por pagar propina a dois PMs para evitar a prisão em flagrante do filho Rafael, que atropelou o filho de Cissa.  

“O juiz escreveu na sentença uma coisa muito bacana. Ele falou sobre os falsos pais, que acham que protegem seus filhos acobertando seus erros. Isso não é educar. Eu me senti uma cidadã muito aliviada, mais digna. Mas como mãe minha dor é eterna, eu sou uma pessoa aleijada “, disse ela.  Rafael Mascarenhas foi atropelado em junho de 2010.

Já sobre o pedido de habeas corpus e libertação dos dois condenados, ela disse que isso já era esperado. “O habeas corpus é uma coisa que faz parte, qualquer cidadão tem direito a pedir. O que me deixou triste foi a rapidez. Eles querem a liberdade, mas não querem o perdão. Eles nunca pediram nem à minha família nem à sociedade”, lamentou. O que a consola é a certeza de que de uma forma ou de outra a justiça será cumprida. “Vai acontecer”, disse ela, confiante.