"Defendemos a investigação total e imparcial", diz representante do Vem Pra Rua sobre Cunha

  • Por Jovem Pan
  • 20/10/2015 11h07
Reprodução/Twitter

Coordenador e porta-voz do movimento Vem Pra Rua, Rogério Chequer participou do Morning Show desta terça-feira (20) e avaliou o relatório da CPI da Petrobras, em que não há responsabilização do desvio do dinheiro por parte de gestores, ex-presidentes da estatal e nem políticos do alto escalão do poder Executivo.

Em entrevista pelo telefone, o ativista disse que era esperado um relatório final parcial e com a famosa “pizza”.

“Como teve uma apuração paralela de fatos, não por políticos, mas por investigadores competentes, a gente pode ver a distancia entre uma CPI desta em termos de corpo mole, falta de profundidade e interferência que não permitem que nós descubramos o que realmente acontece”, comparou com a Operação Lava Jato, deflagrada pela Polícia Federal.

Questionado pela jornalista Ellen Braun, Chequer negou que o movimento Vem Pra Rua seja focado apenas em petistas, mas contou que o grupo que decidiu priorizar a presidência e “níveis mais altos” de poder.  “A quantidade de corrupção e mal feitos e coisas erradas no Brasil é tão grande que um movimento como o nosso, que apesar de centenas de pessoas ajudando, nós não temos recursos para ir atrás de todas as esferas”.

Ele contou que há, sim,  preocupação com o presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ), dono de contas não declaradas no exterior e carros de luxo no nome da empresa Jesus.com. “Não o defendemos. Defendemos a investigação total e imparcial dele”, falou.