Deficiente visual, filho baterista grava disco com releituras de fase roqueira de Roberto Carlos

  • Por Jovem Pan
  • 13/07/2018 11h40
Johnny Drum/Jovem PanMúsico esteve na bancada para falar de seu mais recente projeto

Já pensou em ouvir os maiores clássicos da carreira de Roberto Carlos com arranjos pesados de heavy metal? Não, né? Mas saiba que isso pode, sim, acontecer. E graças a Dudu Braga, filho baterista do rei que lançou neste ano o primeiro DVD de sua banda, a RC Na Veia, projeto que une releituras da fase roqueira do cantor. Em entrevista ao Morning Show nesta sexta-feira (13), Dia Mundial do Rock, o músico deu mais detalhes do trabalho e contou como a ideia foi inicialmente recebida pelo “paizão”, como gosta de chamá-lo.

“Tinha que ter autorização dele senão eu seria deserdado (risos). Nossa banda existe há 5 anos, eu sou baterista há muitos. Queria fazer um trabalho que não tivesse influência do paizão, então trouxemos um arranjador que ouve Pantera. Amo todos os estilos, já fui produtor, mas sou baterista de metal! Essa é a sonoridade que eu queria. Meu maior medo foi perguntar para ele se topava. Ele falou assim: nem eu lembrava que eu tinha feito tantos rocks na minha vida”, contou.

“Eu só não queria que ele se sentisse obrigado a participar do projeto por eu ser filho. Mas ele ficou super feliz. No dia que gravamos e teve o Digão, o Tony Garrido, o Rogério Flausino, o Andreas Kisser, ele adorou. Achei legal ele voltar ao rock. Acabou ficando conhecido como cantor romântico, mas a Jovem Guarda era o rock’n’roll daquela época”, completou.

O trabalho, disponível também em CD, nasceu a partir da gravação ao vivo de um show realizado em outubro de 2017 na Casa Natural Musical em São Paulo. Completam o grupo o baixista Juninho Chrispim, o guitarrista Fernando Miyata e o vocalista Alex Capella. São 17 músicas no total, sendo que uma delas, a popular Se Você Pensa, conta com o próprio Roberto nos vocais.

“Em relação à atitude na vida, ele sempre foi roqueiro. A história dele mostra quem ele é. Saiu do interior, foi para o Rio de Janeiro, brigou para caramba. E tinha aquele cabelão, o costume de quebra de paradigmas. Acontece que, mesmo roqueiro, sempre cantou o amor. Para aquela época em que todo mundo andava de terno e tinha o cabelo curto, ele era rebelde. Lembro de uma entrevista em que o Silvio Santos perguntou o que ele não conseguiria fazer e ele respondeu que não conseguiria colocar aquele terno. Era a rebeldia da época, hoje isso é leve”, opinou.

Durante a conversa na bancada, Dudu falou ainda sobre a controversa relação de Roberto com Tim Maia, mostrada inclusive na cinebiografia Tim Maia de 2014, sobre a polêmica em que o pai entrou anos atrás ao proibir a circulação de uma biografia não-autorizada e sobre as dificuldades que enfrentou – e superou – sendo um baterista deficiente visual (e sendo muito bem resolvido em relação a isso). Todos os vídeos estão no canal do programa no YouTube.

A agenda de shows do RC Na Veia pode ser encontrada em suas redes sociais.