Fogaça rechaça fama de bad boy: “sou uma pessoa justa”

  • Por Jovem Pan
  • 07/11/2016 13h11
Johnny Drum/Jovem Pan

Cara de mau, corpo todo tatuado e roqueiro fervoroso. Essas características tornam Henrique Fogaça o jurado mais temido do MasterChef. Mas já ouviu o ditado “as aparências enganam”? Pois o chef de cozinha garante que isso se aplica a ele também. No Morning Show desta segunda-feira (7), Fogaça diz que não é uma pessoa má, apenas é um cara justo em seus conhecimentos de culinária.

“Não sou um bad boy, sou uma pessoa justa em relação as minhas visões sobre culinária. A minha cara não muito convidativa passa essa impressão”, brincou o chef.

Fogaça vê essa sua característica como sua principal qualidade em sua profissão e nos programas de televisão que participa, como o “MasterChef” e o “200 Graus”, sua nova atração no Discovery Home & Health. Ele acredita que seu estilo influencia as pessoas a serem autênticas.

“Sou bem transparente nas coisas que faço e acho que não tem nada que me incomoda. De certa forma até inspira as pessoas, não sou apenas cozinheiro. Venho de várias coisas que gosto de fazer que me completam”, explicou.

Com três versões do MasterChef no ar, a imprensa especializada vê a principal atração da Band com um desgaste em sua audiência. O chef discorda dessa visão e acredita que a atração já está consolidada no gosto do público. Ele ainda revelou que assinou contrato para as versões profissional e amadora do show.

“Fizemos o amador, o kids e o profissional. Temos contrato para dois em 2017. É um formato que existe a algum tempo e está consolidado. Acrescentamos umas provas de acordo com o país. É um programa que inspira as pessoas e aprendem a cozinhar, torcem para alguém. É uma coisa verdadeira”, finalizou.