Foquinha e Thiago contam porque acham o "The Voice" dos EUA melhor que o do Brasil

  • Por Jovem Pan
  • 09/05/2018 11h28
Johnny Drum/Jovem PanJovens são apresentadores do The Voice Lounge no canal Sony

À frente do The Voice Lounge no canal Sony, Foquinha e Thiago Pasqualotto analisam e debatem os principais acontecimentos da versão norte-americana do reality. Eles conhecem todos os jurados e toda a equipe que está por trás, sabem detalhes da vida dos participantes, enfim, entendem toda a dinâmica da atração. E em entrevista ao Morning Show nesta quarta-feira (9) explicaram porque consideram o programa dos EUA melhor que o do Brasil.

“Acho que tem a questão de os candidatos nascerem na música lá. A cultura da música, do entretenimento é muito maior no país deles. Os norte-americanos são desde cedo educados na música”, afirmou ela ao comparar o nível dos candidatos.

“Entre os jurados também aparece essa diferença. Imagina ter Alicia Keys para te treinar! Ou Kelly Clarkson, Adam Levine, Blake Sheldon. Acho legal esse time de jurados, cada um tem um papel marcante ali. Kelly é a aluna que acabou de chegar na sala e está animada com tudo, Alicia é mais séria, Blake vence tudo e Adam é o charme”, completou ele. “Sem falar no ‘bromance’ entre os dois homens. A relação deles é muito divertida, todo mundo quer acompanhar”.

Além de apresentarem o televisivo, ambos também se destacam na web como influenciadores digitais. Thiago comanda o humorístico Morri de Sunga Branca, enquanto Foquinha lidera um canal com seu pseudônimo no YouTube. Nele, faz entrevistas bem-humoradas com artistas nacionais e internacionais em alta no cenário pop. Um dos destaques, já “viralizado” no país todo, foi a conversa com Ed Sheraan – que teve até mesmo “sarrada no ar”.

Foi muito legal. Ele é muito tímido, super fechado. Pesquisando antes para fazer a pauta eu não tinha visto nada muito louco dele então estava apreensiva. Achei que não ia rolar. Mas ele foi se soltando e acho que curtiu isso de conhecer mais a cultura brasileira. Ele achou engraçado. Ficou tímido, dá para ver no vídeo, mas no fim já estava me zoando! Não entedia meu apelido, entendeu ‘fucking’ em vez de Foquinha”, contou a jovem, aos risos.

Já a entrevista menos divertida do canal, segundo ela, foi com a cantora Taylor Swift. “Com ela foi foi complicado. Ela é automática dando entrevista. Não conversa, só responde. Achei ‘boring’ (chato, em inglês)”, revelou.