“A música de Elis Regina faz falta todos os dias”, diz Pedro Mariano

  • Por Jovem Pan
  • 14/08/2017 11h43
Johnny Drum/ Jovem Pan

Filho de uma das lendas da MPB, a “pimentinha” Elis Regina, o cantor Pedro Mariano abriu o coração ao falar sobre a falta que a mãe faz à música brasileira. No Jovem Pan Morning Show desta segunda-feira (14), ele emocionou ao explicar a singularidade do trabalho da artista.

“Uma artista da magnitude, complexidade, intensidade e pluralidade como a que ela imprimiu no trabalho dela… a música dela faz falta todos os dias”, falou. “Ela tinha um gradiente de cores muito grande e trabalhava com muitos ritmos sem ficar presa a um só. Ela era genial”, relembrou.

Questionado sobre a presença do legado de Elis em seu trabalho, Pedro Mariano mencionou a paixão da cantora pela música. “Eu tenho uma passionalidade muito parecida com a da minha mãe, mas me acho mais parecido com o meu pai trabalhando”, avaliou ao lembrar de César Camargo Mariano.

“Tenho um modus operando parecido com o do meu pai, de seguir um cronograma, mas ele diz que eu sou mais parecido com a minha mãe”, se divertiu.

O cantor ainda falou sobre “Elis – O Filme”, e afirmou que não se decepcionou com o resultado visto na tela. “Ouvi críticas de coisas que faltaram [no filme], mas é um ponto de vista e uma escolha do diretor. Nós sabíamos que esse seria o caminho escolhido e não me incomodou em nada. Ele não é mentiroso, é uma parte da história”, frisou ao avaliar como os pais foram retratados no longa.

“Eles são duas figuras que se completam emocionalmente e um tinha o que o outro não tinha. Meu pai construiu todos os ‘trajes’ que minha mãe quis ao longo da carreira e essa química funcionou muito. O filme não expressa exatamente isso, mas é muito feliz porque faz a manutenção da artista”, ponderou. “O que importa é que a gente fale dela e não deixe a história morrer”, emendou.

“Pedro Mariano e Orquestra – Show DNA”

Depois de lançar o “Pedro Mariano e Orquestra” em 2016, o cantor está pronto para iniciar uma nova etapa do projeto, uma “segunda parte” batizada “Pedro Mariano e Orquestra – show DNA”.

Com show marcado para dia 19 de agosto, às 22h, no Teatro Alpha, em São Paulo, Pedro falou sobre os desafios de se apresentar ao vivo acompanhado de uma orquestra.

“Quanto mais instrumentos, maior o desafio porque todos precisam falar a mesma língua. O grau de concentração é maior e, justamente por conta da partitura e do maestro, não se permite inventar muito na hora”, definiu.

O novo projeto, assim como o anterior, vai ganhar versões em CD e DVD, que serão gravadas no último show da turnê.