"Não é um filme cabeça, é bem pop", define o diretor de "Apneia", Mauricio Eça

  • Por Jovem Pan
  • 14/11/2014 11h22
Jovem Pan

O primeiro longa dirigido por Mauricio Eça, Apneia, acaba de chegar aos cinemas, e o diretor comenta a experiência que durou mais de seis anos. “Foi um processo maravilhoso. Fiz um post no Facebook pedindo histórias de meninas ricas de 20 e poucos anos e recebi muita coisa sobre o tédio e a coisa de ter tudo e não ter nada”, conta. Depois de trabalhar no roteiro por alguns anos, Mauricio chegou à personagem Cris, que tem 24 anos e não consegue dormir porque sofre de apneia do sono.

“Hoje vejo o filme como histórias de pessoas que têm uma solidão profunda e querem ser amadas. Não é um filme cabeça, é bem acessível e pop”, garante ele. A busca pelo sentido da vida, para ele, é um recorte desta geração que começa a vida adulta.

As experiências anteriores de Mauricio na área da publicidade e da produção de clipes ajudou muito na preparação para este grande projeto. “No clipe tem poucos recursos e tem que colocar imagens interessantes para entreter a audiência. Na publicidade tem que contar uma história em 30 segundos”, explica ele, que diz ter aprendido muito em Apneia.

O trio de protagonistas da história é composto por Marisol Riberito, Marjorie Estiano e Thayla Ayala. “São três que não fazem muito cinema, mas leram o roteiro e gostaram demais. Elas ajudaram muito no processo do roteiro, foi a oito mãos”, conta ele. Intensas, as filmagens duraram apenas três semanas.

Confira abaixo o trailer de Apneia: