"Não foi o branco que escravizou o negro. O negro que escravizou o negro", polemiza Mr. Catra

  • Por Jovem Pan
  • 04/06/2018 11h53
Johnny Drum/Jovem PanFunkeiro esteve no programa nesta segunda-feira (4)

Em maio deste ano, o rapper norte-americano Kanye West causou polêmica no mundo todo ao afirmar ao TMZ que a escravidão do povo negro havia sido uma “opção”. Agora, o brasileiro Mr. Catra seguiu nessa onda e fez um discurso tão controverso quanto. Em entrevista ao programa Morning Show da Jovem Pan, o funkeiro alegou que o responsável pela escravidão não foi o branco, mas, sim, o próprio negro.

“Não tem esse bagulho de negro ou branco. Quem ensinou o mundo a escravizar foram os negros. Na África antiga, Etiópia. Tá ligado? Não foi o branco que escravizou o negro. O negro que escravizou o negro e vendeu para o branco no continente. O branco não ia entrar na África com hipopótamo, leão, girafa, jacaré, sem noção de nada, e escravizar o preto. Não tinha como. Se for no âmago da história você vê que não foi o branco que escravizou o negro. A realidade é essa”, declarou ao ser questionado sobre cotas raciais.

“É por isso que cotas… sei lá. Acho, de coração, que o negro tem condição assim como o branco. O brasileiro, com todo respeito, é vira-lata. Miscigenação pura, parceiro. Tá ligado? Não tem como. A gente vive em um país misturado. Branco vira preto com duas gerações. Preto vira branco em duas gerações. Vejo isso em casa. Meus filhos são bem resolvidos com isso”, completou.

Além de suas opiniões peculiares, a própria vida de Catra é controversa. Ele é casado com três mulheres, possui atualmente 33 filhos e se considera hebreu. Não acredita, porém, que seu estilo de vida seja contraditório com o que a religião prega.

“Poligamia não é pecado. Quem falou? Deus é natural. Ele fez os animais mamíferos vivendo em bando com a maioria de formação de um macho e várias fêmeas. Me defina puteiro. Se não fosse o lance de necessidade, ninguém gastaria dinheiro lá. Se homem e mulher fossem iguais, não teria porque ter puteiro. É natureza, irmão. A biologia é assim. Deus nos fez assim. As feministas não me perseguem, não. Sou um cara real. As que me perseguem não têm noção do que é verdade e o que é ilusão. Eu não engano mulher. Gastar tempo para formular mentira é ruim. Assume e acabou. Vai viver melhor. É triste viver uma mentira”, disse.

Mas e se uma de suas mulheres quisesse se relacionar com outros homens? Aqui o papo vira outro. “São biologias diferentes. Se sugerir isso, ela fica ofendida. Existe uma diferença. A mulher pode sair com 300 homens, mas só tem um. Pode pegar 300, mas só um vira a cabeça dela. A gente infelizmente é fraco. O mundo só evoluiu tecnologicamente, porque continua sendo igual desde que Deus criou. Não adianta vir transformando as coisas. O bagulho é do jeito que começou”.

Durante a entrevista, Mr. Catra falou também sobre seus próximos projetos musicais (tanto no funk como no rock, no rap e no samba), seus casamentos, a eleição presidencial de 2018 e seu tratamento de câncer – que, segundo ele, está correndo bem e já na fase final. Todos os vídeos estão no canal do programa no YouTube.