Nossa Constituição permite abuso de poder do governo, diz cientista político

  • Por Jovem Pan
  • 26/09/2017 11h55
Johnny Drum/ Jovem Pan

Por que o Brasil é um país atrasado? Essa é a questão (e título) do livro de Luiz Philippe de Orleans e Bragança. No Jovem Pan Morning Show desta terça-feira (26), o cientista político levantou o debate e falou sobre o verdadeiro problema do país: a Constituição.

“Precisamos entender que o problema é maior que o governo. Não é um problema de pessoas e partidos, mas de Constituição que permite um governo ilimitado”, afirmou.

“Não temos freios estabelecidos e nós, como povo, não podemos frear esse poder ilimitado. Eles conseguem manipular e fazer o que quiserem”, explicou.

Para o cientista político, a Operação Lava Jato é uma forma de encarar o problema, mas não será suficiente a longo prazo. “A Operação vai limpar as instituições públicas, mas o trabalho vai ter que ser constante porque elas vão sempre levar esse erro sistêmico”, disse.

Uma mudança mais do que urgente no sistema seria a forma como os representantes são nomeados para a eleição, algo que não parte do povo. “É a maior falácia achar que a sociedade não tem educação e não está preparada para exercer a democracia”, falou.

“Com um sistema bem desenhado, o povo vai tomar boas decisões”, defendeu. “As melhores Constituições foram feitas em circunstâncias de extremo caos”, emendou.

Outra mudança é a descentralização dos poderes do Estado. “Temos que transferir os poderes e direitos de volta à sociedade e remover o Estado do cumprimento desses direitos”, disse. “Temer teria que demover pré-requisitos que não cabem a ele”, concluiu.