"O Facebook vicia mais que cigarro", diz Martha Gabriel, especialista em marketing digital

  • Por Jovem Pan
  • 06/08/2014 11h23
Nathália Rodrigues / Jovem Pan

A escritora, consultora e palestrante em marketing digital, Martha Gabriel, esteve no Morning Show para falar sobre as tendências e etiquetas nas mídias sociais. As rápidas mudanças e novidades da internet impactam o comportamento social e até a forma como as pessoas se veem.

Segundo Martha, as crianças de hoje seriam consideradas gênias quando comparadas com as dos anos 1970, porque têm acesso a mais informação e são mais estimuladas do que as gerações passadas. Ter acesso rápido a tantos conteúdos, porém, gera estresse e cansaço. “Cada vez que você muda de janela no computador, você perde um segundo de raciocínio, fica pensando ‘o que eu ia fazer, mesmo?’”, explica a especialista.

Estar disponível 24 horas por dia em aplicativos de troca de mensagens instantâneas como o Whatsapp, também gera muito cansaço, porque a pessoa fica sempre alerta em receber uma mensagem e sente a necessidade de responder imediatamente.

Martha diz que não é necessário ter todas as principais redes sociais existentes, como Facebook, Pinterest, Instagram e Twitter. “A gente tem que usar as redes que são úteis para a gente”, diz ela, ressaltando que uma pessoa não deve ceder à pressão dos colegas para estar mais presente em uma rede social.

“O Facebook vicia mais que cigarro. Primeiro porque está na palma da mão, segundo porque é gratuito. O ser humano sempre foi social, e as redes trazem feedback instantâneo, e isso vicia”, alerta ela. Viver a própria vida é importante, sem se preocupar em divulgar apenas os lados positivos. “Você está realmente vivendo sua vida?”, questiona a consultora.