Ricardo Almeida relembra época que repaginou Lula: "mulheres não votavam nele pela aparência"

  • Por Jovem Pan
  • 02/08/2016 11h45
Reprodução/Youtube

O estilista Ricardo Almeida é um dos nomes mais respeitados da moda no Brasil e foi responsável por repaginar o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva em seus dois mandatos. Após todas as notícias sobre corrupção que o governo do PT se envolveu, inclusive com Lula como um dos acusados, o estilista garantiu nesta terça-feira (2) que não se sente arrependido de ter trabalhado para o petista.

Contratado em 2002 por Duda Mendonça, líder da campanha do metalúrgico, Ricardo relembrou que teve a missão de deixar Lula mais apresentável para passar uma imagem de mais credibilidade na época. O estilista comentou que o candidato do PT havia perdido muitos votos para Collor por conta da aparência anos antes.

“Por incrível que pareça, as mulheres não votavam nele (Lula) por causa da aparência. Tanto que ele cuidou um pouco mais do visual para parecer mais bonito. O Collor teve muito sucesso por conta de seu visual”, disse.

Questionado se em algum momento ficou apreensivo em ver seu nome envolvido com o dinheiro do Petrolão, Almeida se mostrou tranquilo e que mesmo se o pagamento dos seus serviços fosse feito com dinheiro corrupto, ele não teria que responder por nada, mas sim quem o pagou.

“Na época até me questionaram sobre os pagamentos. Apresentei as notas que emiti dos pagamentos feitos pelo Duda Mendonça. Não quero rolo com ninguém, pois trabalho direito”, explicou.
O mundo vive um momento de mais liberdade e o estilista acredita que isso ajudou os homens a se cuidarem mais. Sem o antigo tabu de que “homem que se cuida é homossexual”, o público masculino começou a prezar a boa aparência e buscar mais credibilidade.

“Não tem mais esse preconceito sexual. Hoje homem faz lipo, plástica e é dono do seu espaço. A pessoa tem mais liberdade para comprar roupa até no horário de trabalho porque ele usa no trabalho e ajuda nos negócios”, concluiu.