Se impeachment for confirmado, Temer "poderá arrumar a casa", avalia Ronaldo Caiado

  • Por Jovem Pan
  • 24/08/2016 11h13
Geraldo Magela/Agência Senado

“Um grande divisor de águas”, definiu o líder do DEM no Senado, Ronaldo Caiado (GO), sobre uma possível efetivação do presidente interino Michel Temer no cargo de mandatário da República.

Em entrevista exclusiva ao Morning Show, o senador criticou a incapacidade do Governo de tomar medidas mais duras e amargas por conta do processo de impeachment que tramita no Senado há mais de 120 dias. No entanto, ele ponderou que, passado o período de interinidade, Michel Temer “terá condições de poder arrumar a casa”.

Com o processo de impedimento da petista em andamento, projetos importantes como a reforma da Previdência e o teto de gastos públicos, seguem sendo interrompidos com frequência no Congresso. Com isso, Ronaldo Caiado defendeu uma posição corajosa de Temer, caso contrário, “o Estado brasileiro está sequestrado a um grupo de pessoas que vivem uma realidade totalmente diferente da realidade do País”.

Já nesta quinta-feira (26) o Senado dá início a fase final do processo. Muito se falou por parte da presidente afastada da convocação de um plebiscito para novas eleições. O democrata questionou o momento escolhido para tratar do assunto.

“Se ela quisesse ter convocado um plebiscito deveria ter dito isso no primeiro momento. Isso seria uma postura elevada, republicana. Mas ela querer colocar isso agora não cheira bem, não traz uma boa imagem”, disse ao Morning Show.

O senador defendeu ainda que Dilma tenha um gesto de maior preocupação com o País e não de ordem pessoal e pediu bom senso. “Todo cidadão tem que ter bom senso em saber reconhecer o momento de falha (…) Ela deve entender que o Brasil não quer mais voltar ao quadro de aparelhamento do Estado. Não podemos imaginar que ela ainda queira resistir a uma realidade que a população toda se coloque contrária. É um momento de bom senso”, reiterou.