Sexo antes do jogo ajuda ou atrapalha os jogadores na Copa? Sexóloga explica

  • Por Jovem Pan
  • 27/06/2018 11h11
Reprodução/Instagram

Tite chegou para chacoalhar a Seleção Brasileira. Não só dentro, mas também fora dos gramados. Uma das mudanças implantadas por ele que mais contrastaram com a postura dos técnicos anteriores foi a liberação do convívio dos jogadores com suas famílias – incluindo aqui suas mulheres – no decorrer da Copa do Mundo. E será que isso funciona? Para debater, o Morning Show desta quarta-feira (27) contou com a presença da terapeuta sexual Paula Napolitano.

“Esse é um assunto que sempre causa polêmica. O Tite liberou, a Alemanha proibiu. O que sabemos é que o sexo em si não prejudica em nada. Ter uma noite, uma relação, não prejudica o atleta. O problema é que isso pode envolver outras coisas, como DR (discussão do relacionamento), festas, drogas, álcool, cansaço. O problema seria o pós-sexo, não o sexo. E outro problema que pode acontecer, por exemplo, é se o jogador tiver uma disfunção. Se ele brochar e depois ficar mal”, explicou a especialista.

“Mas supondo que o sexo aconteceu na noite anterior a um jogo e foi tranquilo, ele ficou feliz e gostou, está relaxado, aí pode ser um incentivo. A gente libera hormônios na hora do sexo quando sente prazer. Nesse caso pode ser positivo. É como quando o jovem vai prestar vestibular. Dizem para ele não ficar estudando horas antes, né? Para relaxar, desligar um pouco para estar inteiro. É a mesma ideia com jogo e sexo”, completou.

Nesse link você confere mais detalhes da Copa do Mundo da Rússia e da Seleção Brasileira. Já no canal do Morning Show no YouTube pode assistir a todos os vídeos do programa.