"Sou um ator pornô", brinca o jornalista Fred Melo Paiva, do reality "O Infiltrado"

  • Por Jovem Pan
  • 08/10/2014 10h55
Nathália Rodrigues/Jovem Pan

Protagonista da produção brasileira de maior audiência do History Channel, Fred Melo Paiva traz mais novidades na segunda temporada de O Infiltrado. O episódio de abertura da temporada é sobre a indústria pornô, e Fred chegou a se tornar um ator com direito a carteirinha e participação em uma cena que foi para o Festival de Berlim. “O laboratório é o programa”, define ele durante participação no Morning Show

Fred coloca em prática o chamado jornalismo gonzo, quando o jornalista abandona a objetividade e se envolve profundamente no tema retratado. “A escolha desses temas sempre têm que ser conflitante comigo. Eu sou um cara cético, e fui me tornar um exorcista. Sou mineiro, me tornei um carioca”, exemplifica o jornalista. Ele conta que o programa é um exercício diário de libertação dos preconceitos. 

O projeto surgiu inspirado em um programa da BBC, mas acabou se desenvolvendo com os personagems e público brasileiro e se tornou uma coisa completamente diferente da referência. 

Antes de “se tornar” carioca, via a extroversão do pessoal do Rio de Janeiro como um tanto antipática, mas depois mudou de ideia. Frequentou a zona sul, pegou onda, andou de sunga pela ruas, supermercados e bancos. “Me supreendeu saber que o carioca é extrovertido, mas está longe de ser antipático”, revelou. 

Depois de ter participado do episódio sobre exorcismo, em que foi exorcizado na Igreja Católica e Evangélica, refletiu muito sobre suas experiências. “Fico muito tempo pensando naquela história que vivi, e isso me transforma. Antes de ser cético, sou jornalista, um cara curioso, que gosta de olhar, de estar em um lugar que é inadequado”, explicou.

Fred já foi diretor de redação das revistas Trip e TPM, editor no jornal O Estado de S. Paulo, editor-executivo de Época Negócios e repórter das revistas Playboy, Veja e IstoÉ. Em todos esses anos de jornalismo, acredita que a profissão tem que deixar de ser tão careta. “É uma profissão antiga e a maneira como é exercida ficou antiquada, e parte disso explica a crise. A redação tem uma estrutura hierárquica chata. Acho que tem que mudar. Tem um monte de gente tentando fazer uma coisa diferente”, diz. 

Não deixe de conferir as experiências únicas vividas por Fred na segunda temporada de O Infiltrado, que tem onze episódios. 

Serviço:
O infiltrado
History Channel
Terças-feiras
Horário: 23h