Anne Willians fala sobre importância do empreendedorismo social para além do lucro

CEO do Instituto Nelson Willians tomou como bandeira principal da companhia a educação e conscientização dos direitos das pessoas necessitadas

  • Por Jovem Pan
  • 14/12/2021 13h04
Mulheres Positivas/Reprodução de vídeoAnne Willians falou sobre projetos do Instituto Nelson Willians no programa 'Mulheres Positicas'

O programa “Mulheres Positivas”, da Jovem Pan, traz como convidada da apresentadora Fabi Saad nesta segunda-feira, 13, Anne Willians, a CEO do Instituto Nelson Willians. Nascida em Belém do Pará, Anne é formada em administração e direito, é especialista em gestão da inovação social e acabou de lançar o livro “Empreendedorismo Social Feminino”, que tem como um dos principais intuitos repassar a pessoas com menos condições os ensinamentos que ela absorveu ao longo dos anos. “É um livro que vem em um formato ‘pocket’, vem em um formato rápido, e vem para falar sobre empreendedorismo social feminino. Então, dentro do empreendedorismo, a gente tem esse recorte tão necessário hoje”, afirmou. Ela explicou que o empreendedorismo social tem relação direta com o impacto que as ações causam, precisando ser sustentáveis e impactar positivamente o mundo sem visar exclusivamente o lucro.

O Instituto Nelson Willians, no qual Anne trabalha, nasceu há cinco anos após um ano de planejamento estratégico e já mudou a vida de mais de 60 mil pessoas. “Decidimos atuar no eixo de educação e direito. Pensando nesses eixos, hoje trabalhamos com 14 projetos, sete deles financiados por meio de editais”, afirmou. Ao tentar chegar aos mais profundos rincões do país, o instituto busca trazer conhecimentos que vão além da educação escolar e valorizam a cidadania. “Há ignorância em conhecer os seus direitos, em conhecer o que o Estado deveria prover a este cidadão”, recordou. A apropriação dessas ferramentas por parte de populações mais necessitadas ajuda, por exemplo, mulheres vítimas de violência a buscar novas formas de libertação de relações abusivas.

Para mulheres que querem empreender, Anne Willians lembra do planejamento como um ponto inicial. “Isso é algo que as mulheres estão buscando cada vez mais, tanto que hoje as mulheres estão, sim, cada vez mais capacitadas que os homens, elas têm mais tempo de escolaridade, buscam mais cursos que lhe entreguem, que deem esta ferramenta. Por outro lado, a gente tem questões que impedem essas mulheres empreendedoras de acessarem mais investimento, de escalonarem seu negócio de uma forma mais ousada”, disse. Algumas dessas questões envolvem problemas “estruturais” na sociedade, como o fato das mulheres não se sentirem preparadas para sentarem em uma mesa de negociação ou pedirem financiamento em nome próprio. “A gente coloca no empreendedorismo feminino que é necessária esta ousadia: ‘Mulher, você está preparada’”, pontuou. Para ela, uma forma de ajudar a dar legitimidade a estas mulheres é chamar atenção ao assunto e conversar com os órgãos.

Como um livro indicado para mulheres positivas, a empreendedora indica “O feminismo é para todo mundo”, da escritora norte-americana Bell Hooks. “Ele é muito direto, são capítulos super pequenos, que acho que é um livro ‘bê-a-bá’ para quem fala de feminismo”, recordou. Como filme, Anne indica “Para Sempre Alice”, que fala de Alzheimer e da ligação das pessoas com o tempo e como mulher inspiradora ela lembra da Rachel Maia, CEO da Lacoste no Brasil. “É uma mulher que superou barreiras sociais, superou barreiras raciais, superou barreiras econômicas e hoje, além do seu negócio, também tem o social”, afirmou, lembrando que ela é uma das mentoras do projeto Capacita-me.

Confira o programa “Mulheres Positivas” desta segunda-feira, 13, na íntegra: