Cantora se desdobra para brilhar em diversas áreas: ‘Tem a Gabi, a artista, e a Gabriella Maria, a empresária’

Nascida em Araxá, mineira de 27 anos concilia a carreira musical com a gerência de uma agência de marketing, a criação de produtos funcionais e a produção de conteúdo

  • Por Jovem Pan
  • 25/10/2021 16h14 - Atualizado em 25/10/2021 16h26
Mulheres Positivas/YoutubeGabi Luthai foi a convidada do programa "Mulheres Positivas" desta segunda-feira

O programa “Mulheres Positivas“, da Jovem Pan, traz como convidada da apresentadora Fabi Saad nesta segunda-feira, 25, a cantora e empresária Gabi Luthai. Nascida em Araxá, Minas Gerais, a artista de 27 anos se divide entre a carreira musical, a gerência de uma agência de marketing, a criação de produtos funcionais da #BeFresh e a produção de conteúdo em suas redes sociais. “Tem uma Gabi que é a artista e tem a Gabriella Maria, que é a empresária. A Gabi artista é a que vai ao estúdio, que conta as histórias, que canta e se entrega. A Gabriella Maria é a do dia a dia, aquela que vai ficar respondendo e-mail, vai ficar no WhatsApp, vai marcar reunião, calls e vai buscar negócios para a Gabi artista e para suas as empresas”, resume a influenciadora, que afirma que sua veia para os negócios é resultado da sua criação. “A minha mãe trabalhou muito a vida toda. Ela saia às 7 horas da manhã de casa e voltava às 18 horas da tarde. Eu via ela trabalhando muito, correndo atrás. Ela foi mãe solteira da minha irmã, ficou viúva muito nova, teve que fazer faculdade tendo filha, e isso me inspirou bastante”, conta Gabi, que, aos 12 anos, começou a produzir acessórios para ganhar seu primeiro dinheiro.

Aos 14 anos, ela começou a cantar e aprendeu a tocar violão. Antes de ser tornar a Gabi Luthai, a jovem de 17 anos entrou na faculdade de engenharia civil, mas o desejo de se tornar artista falou mais alto. “Eu já sabia que queria ser cantora. Eu descobri, aos 17 que, eu queria seguir uma carreira artística. Então, eu decidi criar meu canal e postar meus vídeos”, lembra. Após ver a carreira de um garoto que ela acompanhava no YouTube deslanchar, Gabi teve o insight de que a plataforma seria o caminho certo para o seu sucesso musical. “Eu já acessava a plataforma e via outros artistas fazendo covers. Tinha um menininho que eu amava e sempre entrava para ver o que ele tinha publico. Em um dia qualquer, eu fui ver o que ele estava fazendo. Na hora que eu entrei, tinha um superclipe, e era o Justin Bieber. O menino a quem eu assistia virou o Justin Bieber. Ai eu fui entender que ele foi descoberto por um superempresário, e me veio aquela ideia. ‘E se eu publicar e alguém me descobrir?'”, pensou a adolescente.

Já na primeira publicação, depois de uma massiva divulgação do conteúdo em suas redes sociais, Gabi alcançou 800 visualizações. A alta audiência, no entanto, não perdurou nos vídeos seguintes. Segundo ela, a falta de frequência das suas postagens foi a sua pior inimiga. “Eu não entendia a tal da frequência. Eu não tinha frequência. Eu postava um, depois de três meses, outro. Não acontece. Quando eu entendi a importância da frequência, eu comecei a ter um pouco mais de resultado”, aponta a cantora. A consolidação do canal se deu quando a influenciadora encontrou o Ask.fm, uma rede social de perguntas e respostas. Enquanto os conhecidos e seguidores queriam saber sobre sua vida amorosa, Gabi usou o site para publicar seus covers. “Eu só recebia perguntas como: ‘Está saindo com quem?’. Eu olhei para aquilo, para toda aquela possibilidade e pensei em me mandar uma pergunta. Eu mandei assim, em anônimo: ‘Gabi, eu sei que você canta, canta aí’. Respondi em vídeo cantando. Com isso, eu passei de 2 mil seguidores em setembro de 2012 para 350 mil em março de 2013”.

Com o sucesso de suas redes, aumentaram também as ofertas de publicidade. Ali, Gabi também viu uma oportunidade de empreender. “Às vezes tem marca que vai chegar para mim e eu vou pensar: ‘Não é o produto que eu usaria, então não vou fazer’. Mas eu sei quem usaria, e nisso surgiu a minha agência de marketing digital. Eu não conseguia atender todas as demandas, tanto por questão de tempo ou por identificação, e por ter muito contato com os influenciadores, marcas e agências, eu pensei em fazer disso um negócio”, revela. Hoje, Gabi Luthai tem quase 2,6 milhões de inscritos no Youtube e 2,3 milhões de seguidores no Instagram. No Twitter são 170 mil pessoas a acompanhando. Como uma mulher admirável, Gabriella citou a cantora Elis Regina; um livro indicado por ela para mulheres positivas foi “Coragem de Ser Imperfeita” e uma série foi “The Bold Type”.

Confira o programa “Mulheres Positivas” desta segunda-feira, 25, na íntegra: