‘Fazer o que gosta é meio passo para carreira de sucesso’, diz diretora de comunicação da Huawei

Adriana Recco é especialista em branding, comunicação e gestão de crises da marca chinesa e conta desafios da carreira no mundo das multinacionais

  • Por Jovem Pan
  • 04/10/2021 12h43
Mulheres Positivas/Youtube/ReproduçãoAdriana Recco foi entrevistada no programa 'Mulheres Positivas'

O programa “Mulheres Positivas“, da Jovem Pan, desta segunda-feira, 4, traz como entrevistada da apresentadora Fabi Saad a diretora de comunicação corporativa da Huawei, Adriana Recco. Formada em relações públicas, Recco tem mais de 20 anos de experiência em branding, comunicação e gestão de crises. Ela se considera apaixonada pela área por acreditar na comunicação como uma ferramenta de informação para o público. “Eu tenho muito prazer no que faço, é um ritmo intenso, muito dinâmico, não tem nenhuma rotina no meu trabalho, mas eu realmente faço com paixão”, pontuou. Entre as funções dela na empresa está a aplicação de treinamentos para os porta-vozes da marca. “Nós selecionamos quais são as mensagens-chave, que tipo de postura eles precisam ter, tanto para entrevista de televisão, quanto para a rádio, para veículo impresso. Cada perfil de veículo tem uma característica, então a gente procura passar isso para nossos porta-vozes”, analisou.

Segundo Recco, o trabalho na empresa chinesa é repleto de desafios, principalmente diante da comunicação de tantos serviços e projetos diferentes. Além dos próprios produtos, a Huawei trabalha com ações de reponsabilidade social e de fomento à educação de mulheres. Uma delas é o “Tech For Women”, que capacita mulheres para trabalhar no mercado da tecnologia. “Esses treinamentos são feitos de forma online e gratuita, basta as mulheres se inscreverem”, afirmou. Além da capacitação, a marca tem trabalhado com o reforço do empoderamento feminino no país. “Vamos treinar mulheres para que sejam porta-vozes e possam contar as histórias delas e da Huawei para servir de inspiração a outras mulheres”, lembrou. Entre as pessoas a serem treinadas estão engenheiras, funcionárias da área financeira e do marketing da empresa que têm histórias consideradas inspiradoras.

Outro obstáculo que a RP precisou enfrentar foi entender a melhor forma de lidar com culturas empresariais diferentes, já que ela já fez parte de uma empresa suíça, uma norte-americana, outra holandesa e agora está em uma da China. “Cada cultura tem as suas especificidades, características, então é um desafio você se adaptar às culturas das empresas e saber transitar por todos os níveis hierárquicos e conseguir entregar um bom resultado de acordo com as culturas”, afirmou. Como uma forma de conciliar a vida profissional com a pessoal, ela lembra da importância das atividades físicas na vida dela. “É uma forma de manter o corpo e a mente saudável. Em finais de semana eu gosto de viajar, procurar atividades com meu marido, minha família, amigos, para realmente dar uma desligada do trabalho e começar a segunda-feira inteira”, pontuou.

Para ela, é possível equilibrar a vida pessoal com a profissional se tivermos foco nas entregas e resultados que a empresa precisa. Outro importante fator para não deixar a carreira se tornar um “fardo” na vida é ter afinidade com aquilo que você escolhe como trabalho. “Se eu pudesse dar uma dica, falaria para os jovens escolherem o que eles amam. Quando você gosta do que você faz você não sente cansaço, trabalha horas com dedicação e paixão. Se você gosta do que você faz é meio passo para se ter uma carreira de sucesso”, afirmou. Como um livro e filme indicados para mulheres positivas, Recco lembra de “Comer, Rezar e Amar”. Como uma mulher inspiradora, ela apontou a chanceler alemã Angela Merkel, a quem considera profissional, séria, simples e com um aguçado senso de justiça.

Confira o programa “Mulheres Positivas” desta segunda-feira, 4, na íntegra: