Solange Frazão explica por que já trabalhou de graça para conquistar carreira no mundo fitness

Empreendedora conhecida por ser o ‘rosto’ dos exercícios físicos na TV brasileira foi entrevistada no programa ‘Mulheres Positivas’

  • Por Jovem Pan
  • 30/08/2021 13h13
Solange Frazão/InstagramSolange Frazão foi entrevistada no programa "Mulheres Positivas"

O programa “Mulheres Positivas“, da Jovem Pan, traz como convidada da apresentadora Fabi Saad nesta segunda-feira, 30, Solange Frazão. Ela falou sobre qualidade de vida, padrões de beleza e a visão empresarial que teve desde pequena, quando, aos 14 anos, abriu uma “escolinha” de balé em casa porque queria comprar uma bicicleta. O mundo fitness, que sempre foi uma paixão para a empresária, logo se tornou uma oportunidade de negócios. “Eu falei: ‘Bom, com todo meu conhecimento e aprendizado, eu quero fazer disso um grande negócio’. E aí eu fui. Comecei e foi maravilhoso porque eu era uma das poucas mulheres que estavam ali na frente fazendo o melhor”, afirmou. Ela lembrou dos desafios para ser aceita no meio, já que era desacreditada por colegas de profissão devido ao seu gênero.

“Foi uma guerra, mas eu já visualizava tudo. Sempre tive muitos ídolos na minha vida e pensava ‘por que não posso conquistar esse espaço?'”. Em 1995, ela consumia conteúdo internacional de mulheres conhecidas por serem apresentadoras fitness, como Jane Fonda e Cindy Crawford, e com ajuda do advogado e produtor Sérgio D’Antino pôde se tornar pioneira do ramo no Brasil. O convite para entrar na TV ocorreu pouco depois de uma entrevista com a apresentadora Hebe, e em pouco tempo Frazão tinha um programa diário de exercícios. “Acho que conquistei as mulheres e tudo é um processo. Para conquistar as mulheres, não adianta, você tem que ser verdadeira. Tem que mostrar o real. A verdade daquela história”, lembrou. As dicas que deram certo para ela, sobre alimentação e exercício, foram logo passadas adiante. “Eu lembro que na época já tinha os meus três filhos, e as mulheres falavam ‘mas eu quero esse abdômen’, e aí eu fazia daquele abdômen um grande negócio.”

A empresária lembrou, porém, que nunca teve ganância por dinheiro. “Nos meus primeiros empregos, eu falei ‘olha, você não precisa me pagar, eu quero que você goste do meu trabalho’. A primeira academia que eu bati na porta e pedi emprego eu me lembro que não tinha muito dinheiro, estava recém-separada, com meus três filhos pequenininhos, mas bati na porta de uma das melhores academias daquele momento”, disse, lembrando da importância de uma boa apresentação para abrir e fechar portas de negócios. Na ocasião, ela trabalhou por três meses sem qualquer salário para apresentar a qualidade das suas aulas e conquistar as clientes do local antes de ser efetivada. O mesmo ocorreu ao longo de outros momentos da carreira dela, como quando ela decidiu participar de concursos de beleza para ajudar o pai financeiramente e ganhou parte deles. “Eu comecei a entender que se eu acreditasse em tudo que eu apostasse, se sentisse confiança naquilo que eu ia fazer, eu ia conquistar”, afirmou.

Além da capacitação educacional que Solange Frazão conquistou ao longo dos anos, ela também ganhou confiança das mulheres transmitindo com verdade aquilo que ela vive. “Acho que foi uma conquista diária. Nada veio do céu, foi uma conquista de eu sempre estar fazendo o que eu mais gosto de fazer e fazendo em mim tudo ser um exemplo para as pessoas”, refletiu. Um dos exemplos dela como marca foi a criação do próprio colágeno, que ela não só indica, mas também consome periodicamente. Como um livro indicado para mulheres positivas, Frazão indicou uma obra escrita por ela mesma, “Além do Corpo”, que fala sobre a busca por independência. O filme indicado por ela foi “À Procura da Felicidade” e como mulher admirável e inspiradora ela lembrou de Jane Fonda.

Confira o programa “Mulheres Positivas” desta segunda-feira, 30, na íntegra: