Vice-presidente de marketing da Coca-Cola conta o que a fez ser promovida três vezes em dois anos

Poliana Sousa foi entrevistada pelo programa ‘Mulheres Positivas’ e falou sobre carreira, mudanças na marca e pessoas que a inspiraram na caminhada

  • Por Jovem Pan
  • 22/11/2021 15h26 - Atualizado em 22/11/2021 17h55
Reprodução/Jovem Pan NewsPoliana Sousa foi entrevistada pelo programa 'Mulheres Positivas' desta semana

O programa “Mulheres Positivas“, da Jovem Pan, traz como convidada nesta segunda-feira, 22, aquela que é o rosto da Coca-Cola da América Latina, Poliana Sousa. A convidada da apresentadora Fabi Saad acabou de assumir a cadeira de vice-presidente de marketing da empresa na região, respondendo a 39 países, e presenciou durante a pandemia uma reestruturação global da marca, saindo do cargo de diretora de marketing do Brasil para ser representante na área Latam, cargo que assumiu de home office. “Você imagina primeiro eu ter que conhecer sobre 39 países, conhecer os times, as pessoas não só do meu time direto, mas os meus colegas, as outras áreas que estão nesses países, e na Coca-Cola ainda teve o agravante que era uma nova maneira de trabalhar, uma nova estrutura, novos processos, novas posições, 90% das pessoas mudaram de vaga nessa restruturação, então estava todo mundo fazendo um trabalho novo”, afirmou, prestes a viajar ao México para encontrar pela primeira vez um time que responde a ela.

Em dois anos, Sousa foi promovida três vezes na empresa, o que ela atribui a uma série de fatores. “Acho que o primeiro ingrediente dessa receita é o time. Sem você tem um time certo com aquela vontade de fazer acontecer, os talentos que a gente tem, não só da Coca-Cola, mas os parceiros que a gente trabalha, as agências, os veículos de mídia, nossos parceiros fabricantes, que são nossos sócios, que fazem tudo acontecer no mercado… Sem esse time eu não teria conseguido fazer nada”, disse. Ela também celebrou o fato de a Coca-Cola ser aberta a ideias novas. Após trabalhar por décadas em uma carreira que não era relacionada à bebida, ela encontrou uma equipe receptiva e disposta a escutar as propostas dela. “Isso para mim foi uma injeção de ânimo. Apesar de ser uma multinacional gigantesca, a sensação que dá toda vez que você vai em uma reunião global ou em qualquer reunião fora da América Latina, é a de que todo mundo se conhece”, recordou. Além disso, ela citou a importância de chefes e mentores para ela dentro da marca neste período.

As mudanças na empresa ocorreram no momento em que a Coca tinha um grande planejamento para o ano de 2020, quando a pandemia chegou e tudo teve que ser reformulado com o trabalho em equipe à distância. “Quando a gente olhou todo aquele planejamento, a gente pensou: espera aí. O consumidor mudou, o consumidor está em casa, o consumo do produto mudou, a vida do consumidor mudou, o varejo, tudo mudou. Então todo aquele plano maravilhoso que tínhamos planejado nós literalmente rasgamos e começamos do zero, porque a gente teve que fazer escolhas de investimentos”, afirmou. Naquele momento, a marca usou o dinheiro que investiria em mídia para tentar ajudar pessoas a passarem pela pandemia. “Foi um ano de muito crescimento. Acho que 2020 para mim foi o melhor ano da minha carreira”, afirmou.

Uma das principais lutas de Poliana dentro da marca é promover a diversidade de gênero nas empresas, usando a sororidade para ajudar na carreira de outras mulheres e tentando passar adiante o incentivo de todas aquelas que a ajudaram ao longo dos anos, principalmente da mãe dela. “Minha mãe foi uma inspiração para mim. Ela era dona de casa e me falava assim: ‘Faça mais do que eu fiz, tenha uma carreira’. Lembro de escutar muito isso dela”, recordou. Como uma mulher admirável para a vida dela, Sousa lembra da vice-presidente dos Estados Unidos, Kamala Harris. A vice-presidente de marketing também indicou para as mulheres positivas do Brasil a leitura da biografia de Michelle Obama e os filmes ‘Bohemian Rhapsody’ e ‘Yesterday’.

Confira o programa “Mulheres Positivas” na íntegra: