Acusado de corrupção, premiê da Malásia troca ministros que o criticaram

  • Por Agencia EFE
  • 28/07/2015 05h57

Bangcoc, 28 jul (EFE).- O primeiro-ministro da Malásia, Najib Razak, anunciou nesta terça-feira uma remodelação do governo, um movimento iniciado depois de ser criticado pelo vice-primeiro-ministro, Muhyiddin Yassin, pela gestão do escândalo de corrupção em que é acusado de ter desviado US$ 700 milhões.

“Posso aceitar diferenças de opinião e críticas como parte do processo de governar, mas as divergências não podem ser expressadas em um ambiente aberto que afete negativamente o governo”, disse Najib em uma entrevista coletiva realizada em Putrajaya, capital administrativa do país.

A remodelação do ministério, que será efetivada amanhã, afeta também outros quatro ministros e um vice-ministro. Yassin será substituído pelo ex-ministro do Interior, Zahid Hamidi.

Yassin rompeu o silêncio no último domingo sobre as acusações contra o premiê, acusado de desviar US$ 700 milhões de uma empresa pública de investimento para duas de suas contas bancárias.

O “número dois” do governo malaio recomendou que Najib esclarecesse o escândalo e deixasse o cargo de presidente da junta de diretores da empresa afetada, a 1MDB.

As acusações de desvio surgiram quando a imprensa internacional publicou, no último dia 3, que o dinheiro tinha sido desviado da 1MDB para as contas de Najib. O governante e a companhia desmentiram a informação, mas não conseguiram apagar o escândalo.

Jornais locais e regionais deram sequência à apuração do caso e têm realizado uma investigação paralela a oficial.

Najib, ainda como ministro das Finanças, constituiu em 2009 o 1MDB, um fundo de investimentos governamental como o objetivo de gerar lucros para o governo.

A empresa pública, submetida a uma auditoria neste ano, acumulou desde sua criação até 2014 uma dívida de US$ 11 bilhões. EFE