Al Qaeda anuncia morte de seu “número dois” no Iêmen em bombardeio aéreo

  • Por Agencia EFE
  • 14/04/2015 16h12

Sana, 14 abr (EFE).- A organização Al Qaeda na Península Arábica (AQPA) anunciou nesta terça-feira a morte de seu “número dois”, o saudita Ibrahim al Rubaish, em um bombardeio lançado no Iêmen por um avião não-tripulado dos Estados Unidos.

O grupo radical explicou, em comunicado divulgado nas redes sociais, que Rubaish morreu ontem à noite por causa de “um bombardeio rancoroso dos cruzados”, em referência aos EUA, e que o ataque causou também a morte de um número indeterminado de jihadistas.

A nota da organização terrorista, com base no Iêmen, não detalhou o lugar onde aconteceu o bombardeio.

O comunicado acrescentou que Rubaish, que nasceu na região de Al Qasim, no centro da Arábia Saudita, é um “mujahid (guerreiro santo) que passou quase duas décadas de sua vida defendendo a causa de Deus e lutando contra os EUA e seus agentes”, em menção aos regimes árabes leais a Washington.

Além disso, explicou que o líder jihadista foi durante anos um dos detentos da prisão de Guantánamo, antes de aderir à AQPA, no Iêmen.

Rubaish foi comandante militar, clérigo e responsável financeiro dessa organização e se tornou nos últimos anos uma figura midiática conhecida nas redes jihadistas, onde apareceu em vídeos e gravações propagandísticas.

As autoridades americanas assinalam que a organização Al Qaeda na Península Arábica é um dos braços mais perigosos e ativos do grupo terrorista. EFE