Após decisão do Supremo dos EUA, homossexuais já podem se casar no Alabama

  • Por Agencia EFE
  • 09/02/2015 15h09

Washington, 9 fev (EFE).- A partir desta segunda-feira, homossexuais já podem se casar no Alabama, após o Supremo Tribunal dos Estados Unidos rejeitar um pedido do procurador-geral do estado, um dos mais conservadores do país, para impedir o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

O Alabama se une assim, pelo menos temporariamente, a outros 36 estados do país onde os homossexuais podem se casar legalmente.

Em uma decisão por sete votos a favor e dois contra, os juízes do Supremo rejeitaram um pedido do procurador-geral do Alabama, Luther Strange, para negar o direito à celebração de casamentos entre homossexuais no estado sulista.

A juíza federal Callie Granade revogou em janeiro a proibição vigente no Alabama sobre o casamento entre homossexuais ao considerá-la inconstitucional, mas a data estipulada para a prática ser autorizada era o dia de hoje.

Após a decisão da máxima instância judicial do país, e apesar do presidente do Supremo do Alabama, Roy Moore, ter ordenado no domingo aos juízes estaduais que não emitissem licenças matrimoniais, várias pessoas fizeram o pedido e conseguiram autorização para se casar nas primeiras horas desta segunda-feira, segundo a imprensa local.

O Supremo dos Estados Unidos anunciou em janeiro que avaliará em seu atual período de sessões, que finaliza em junho, se os 50 estados do país devem permitir a realização de casamentos entre pessoas do mesmo sexo.

Até agora, os juízes do tribunal tinham rejeitado se pronunciar sobre esta questão várias vezes, a última delas em outubro do ano passado, quando se negaram a escutar as apelações contra as resoluções que permitiam o casamento entre pessoas do mesmo sexo em cinco estados.

Essa decisão significou, no entanto, uma vitória para a comunidade homossexual, já que teve como efeito imediato a extensão para 24 estados da possibilidade de realização do casamento gay, previamente possível em 19 estados e no Distrito de Columbia, ao qual pertence Washington.

Posteriormente, outros seis estados se viram também afetados por essa decisão do Supremo.

Em recente entrevista, o presidente dos EUA, Barack Obama, disse acreditar que o Supremo optará neste ano por legalizar o casamento entre homossexuais em todo o país.

Obama é o primeiro presidente da história dos Estados Unidos a expressar publicamente seu apoio ao casamento entre casais do mesmo sexo. EFE