Ataques em Bagdá matam 27 membros das forças iraquianas

  • Por Agencia EFE
  • 15/08/2015 09h17

Bagdá, 15 ago (EFE).- Pelo menos 27 membros das forças governamentais iraquianas morreram neste sábado em vários ataques perpetrados pelos jihadistas do grupo Estado Islâmico (EI) ao oeste e ao norte da capital, Bagdá, informaram à Agência Efe fontes de segurança.

No fato mais mortal, 15 soldados iraquianos faleceram após a explosão de vários artefatos contra um grupo de uniformizados que avançavam desde a zona de Al Buaziya em direção a Al Hamdiya, situada ao leste de Ramadi, capital provincial de Al-Anbar, no oeste do Iraque.

Uma fonte de segurança acrescentou que os caças do Exército bombardearam as posições do EI em Al Hamdiya, o que causou a morte de dez combatentes radicais e a destruição de dois de seus veículos.

Além disso, a fonte informou que dez membros das forças iraquianas e da milícia pró-governo “Multidão Popular” faleceram pela explosão de um carro-bomba conduzido por um suicida, perto da zona de Al Carma, ao leste de Faluja, cidade situada a 50 quilômetros ao oeste de Bagdá.

Enquanto isso, outra fonte de segurança informou que o EI atacou, desde três direções, os campos de petróleo de Alas e Ayil, ao norte de Tikrit, capital província de Saladino (norte de Bagdá) e matou dois militares.

As tropas iraquianas conseguiram repelir o ataque após enfrentar os jihadistas. 15 terroristas morreram.

O Iraque enfrenta desde junho de 2014 uma cruel guerra contra o EI, que conquistou amplas zonas de seu território e proclamou um califado neste país e na vizinha Síria.

Os esforços das autoridades se centram atualmente em recuperar o controle de Ramadi e da província de Al-Anbar, a maior do Iraque, que os jihadistas invadiram em meados de maio. EFE