Autoridades resgatam 5 menores em condições de trabalho infantil no México

  • Por Agencia EFE
  • 13/06/2015 20h45

México, 13 jun (EFE).- Cinco menores de idade que eram explorados em um rancho agrícola foram resgatados no município de Parras de la Fuente, no estado mexicano de Coahuila, onde trabalhavam em condições inadequadas que representavam um risco à saúde, informaram fontes oficiais neste sábado.

O governo do estado, situado no norte do país, explicou em comunicado que os menores trabalhavam na coleta de melão por um pagamento de 85 pesos diários (R$ 17), por uma jornada de trabalho de 10 horas, de segunda-feira a domingo.

Os menores, naturais do estado de San Luis Potosí, além de não terem a idade permitida para trabalhar, exerciam suas funções em condições insalubres, segundo registraram as autoridades.

A libertação foi resultado de uma operação de inspeção coordenada pela Secretaria do Trabalho que contou com a participação de representantes da Procuradoria da Defesa do Trabalho, da Secretaria de Saúde e da Procuradoria das Crianças, Meninas e da Família (PRONNIF).

A Secretaria do Trabalho informou que apresentará uma denúncia contra quem for responsabilizado pelos atos de violação aos direitos humanos dos menores, que ficaram à disposição da PRONNIF após receberem atendimento médico e psicológico.

A PRONNIF ficará encarregada de fazer a mudança dos menores até San Luis Potosí onde serão entregues a seus parentes.

Ontem foi celebrado o Dia Contra o Trabalho Infantil. Segundo o Módulo de Trabalho Infantil 2013, no México 2,7% das crianças entre 6 e 11 anos trabalham, apesar da Constituição proibir o trabalho de menores de 15 anos, muitos em trabalhos agrícolas manejando ferramentas perigosas.

A OIT, o Unicef e o Escritório da Unesco no México denunciaram que um dos motivos que as crianças mencionam para trabalhar é pagar a escola e suas próprios despesas, em um país onde 2,1 milhões de crianças de 5 a 17 anos não frequentam a escola. EFE

pem/vnm