“BBC” se nega a pedir desculpas para Argentina por programa “Top Gear”

  • Por Agencia EFE
  • 31/10/2014 15h20

Londres, 31 out (EFE).- A emissora britânica “BBC” se negou nesta sexta-feira a pedir desculpas à Argentina por supostas ofensas feitas pelo apresentador do programa “Top Gear”, Jeremy Clarkson.

A exigência foi feita pela embaixadora da Argentina em Londres, Alícia Castro, após Clarkson acusar o governo da Terra do Fogo (sul da Argentina) de convidar sua equipe para filmar no local com o objetivo de tirar lucro político de sua expulsão. Ele também disse que “a Argentina é um estado mafioso”.

A equipe do “Top Gear”, um programa sobre o mundo automobilístico, causou alvoroço há algumas semanas durante uma gravação na Argentina. Eles utilizaram um carro com uma placa (H982 FLK) que parecia aludir à Guerra das Malvinas de 1982.

Em carta dirigida à embaixadora e divulgada hoje, o diretor de Televisão da “BBC”, Danny Cohen, disse que a emissora garante que seus programas “mostram uma versão justa do que ocorre no local”.

Em relação à placa do veículo, Cohen afirmou que desde a chegada da equipe do programa ao país não viu “nenhuma declaração ou ato que corrobore essa suposição”.

Além disso, Cohen acrescentou que a emissora foi pega de surpresa com a violência enfrentada pela equipe na visita.

A exibição da placa H982 FKL, em referência ao ano da guerra e o nome das ilhas Malvinas em inglês (Falklands), fez com que os britânicos fossem perseguidos por argentinos indignados e tivessem que sair do país, segundo Clarkson.

O “Top Gear”, com 21 temporadas gravadas até o momento, é o programa especializado de automobilismo mais visto no mundo. Personalidades são convidadas a pilotar veículos em diferentes circuitos. EFE