Broncos e Seahawks fazem “duelo dos sonhos” na 48ª edição do Super Bowl

  • Por Agencia EFE
  • 31/01/2014 19h08

Redação Central, 31 jan (EFE).- A presença de Denver Broncos, melhor linha ofensiva da NFL, e do Seattle Seahawks, melhor defesa, transformam em um “duelo dos sonhos” a 48ª edição do Super Bowl, o evento esportivo mais importante dos Estados Unidos.

A final da temporada da liga profissional de futebol americano acontecerá neste domingo, no Metlife Stadium, na fria Nova York. Os rivais, campeões de suas conferências duas semanas atrás, chegam para o jogo ostentando as melhores campanhas na temporada regular, com 13 vitórias e três derrotas.

Os Broncos entrarão em campo liderados pelo experiente Peyton Manning, quarterback de 37 anos, que bateu duas marcas históricas individuais nesta temporada. Do outro lado, os Seahawks apostam no melhor cornerback da NFL, Richard Sherman para pará-lo.

Em grande fase, Payton Manning brincou ao classificar seus lançamentos como autênticos “patos mortos”, mas o time de Denver confia no seu desempenho, que o levou a conseguir 606 pontos na temporada regular, além de 55 passes para touchdown e da conquista de 5.477 jardas aéreas, estes dois últimos, recordes na NFL.

Para o quarterback ser eficaz, no entanto, será preciso proteção especial, diante da qualidade da primeira, e principalmente da segunda linha defensiva do Seahawks, onde Richard Sherman é líder indiscutível. Se conseguir superar o bloqueio da equipe rival, Manning terá como principais alvos os wide receivers Eric Decker, Wes Welker e Demaryius Thomas.

Para o coordenador defensivo do Seattle, Dan Quinn, o astro dos Broncos é “difícil” de ser parado, devido ao trabalho da linha ofensiva da equipe, no entanto, garante que é não uma obsessão derrubá-lo, mas sim deixá-lo pressionado para que não fique em boa posição para lançar.

No ataque, os Seahawks têm como principal arma o running back Marshawn Lynch, que virou “vilão” da decisão, ao se recusar a falar com a imprensa. A equipe confira também no quarterback Russell Wilson, que vem mostrando regularidade na reta final de temporada.

Nas finais de conferência, que valem vaga no Super Bowl, nenhuma das equipes teve vida fácil. O Denver Broncos bateu o New England Patriots, de Tom Brady, por 26 a 16. Em seguida, o Seattle Seahawks entrou em campo e derrotou o San Francisco 49ers, vice-campeão da temporada passada, por 23 a 17.

Os finalistas do Super Bowl não se enfrentaram na temporada regular, mas fizeram um jogo amistoso na pré-temporada, que foi vencido pelos Seahawks, por 40 a 10.

No quesito experiência na principal decisão do esporte americano, os Broncos vencem de goleada, por 6 a 1. Presentes nas edições de 1978, 1987, 1988, 1990, 1998 e 1999, a equipe conquistou apenas as duas últimas finais, contra Green Bay Packers e Atlanta Falcons, respectivamente.

A equipe de Seattle só esteve no Super Bowl em 2006, quando caiu diante do Pittsburgh Steelers por 21 a 10.

A decisão deste ano será a primeira de Breno Giacomini, offensive linemen dos Seahawks, de 28 anos. O atleta, que nasceu em Cambridge, no estado de Massachusetts, é filho de brasileiros. O camisa 68 está em sua sexta temporada, a quarta na equipe atual. EFE