Carlos Andreazza: As corporações mandam, não julgam e não condenam os seus

  • Por Jovem Pan
  • 12/03/2019 10h25
Agência Brasil Mesmo que Dodge levasse ao plenário do STF a questão, que não haja dúvida, mesmo os inimigos votariam em defesa dos seus

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, decidiu arquivar nesta segunda-feira (11) um pedido da força-tarefa da Operação Lava Jato no Paraná para que fosse declarada a suspeição do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, em julgamentos relacionados ao suposto operador do PSDB, Paulo Vieira de Souza, o Paulo Preto. Era óbvio que isso ia acontecer. E mesmo que Dodge levasse ao plenário do STF a questão, que não haja dúvida, mesmo os inimigos votariam em defesa dos seus. Em grito de espírito de corpo que arruína a nossa Suprema Corte. As corporações mandam aqui, não julgam e não condenam os seus.

Confira o comentário completo de Carlos Andreazza: