Casal malaio é condenado à forca por matar empregada de fome

  • Por Agencia EFE
  • 07/03/2014 10h03

Bangcoc, 7 mar (EFE).- Um tribunal da Malásia condenou à pena de morte um casal que maltratou e matou de fome uma criada indonésia, que pesava apenas 26 quilos quando morreu, em 2011, informou nesta sexta-feira a imprensa local.

O Alto Tribunal malaio considerou Fong Kong Meng, de 58 anos, e sua esposa Teoh Ching Yen, de 56, culpados de assassinato pela morte de Isti Komariyah, de 26 anos, original de Banyuwangi (Java Oriental), e que trabalhava havia três anos para o casal.

“Tinha 26 anos e pesava apenas 26 quilos quando foi levada ao centro médico da Universidade Malaia com contusões e arranhões nas costas, nos braços e na frente do corpo. Foi declarada morta ao chegar ao hospital”, informou o jornal “The Star”.

A juíza Azian Shaari considerou que Isti, que pesava 46 quilos quando começou a trabalhar para o casal em 2008, morreu por inanição depois que o casal a deixou sem comida e tratamento médico entre maio de 2010 e junho de 2011.

O advogado do casal anunciou que recorrerá da condenação à pena capital, que na Malásia é feita por enforcamento.

Milhares de imigrantes, regulares e clandestinos, sofrem violência física, exploração, torturas e abusos sexuais na Malásia, onde são empregados em setores como a construção, a lavoura e o serviço doméstico.

Uma cambojana que trabalhava no serviço doméstico morreu de fome em 2012, o que levou à condenação de 24 anos de prisão de seus empregadores e fez com que as autoridades cambojanas suspendessem o envio dessas trabalhadoras à Malásia. EFE