Casal nos EUA pode ser condenado a 20 anos de prisão por tentar se unir ao EI

  • Por Agencia EFE
  • 11/08/2015 22h18

Washington, 11 ago (EFE).- Um casal do Mississipi (EUA) compareceu nesta terça-feira em um tribunal acusado de tentar viajar à Síria para se unir ao Estado Islâmico (EI), fato pelo qual pode ser condenado a 20 anos de prisão.

O homem foi identificado como Muhammad Ode Dakhlalla, de 22 anos, e a mulher como Jaelyn Delshaun Young, de 20 anos.

Ambos foram detidos neste fim de semana no aeroporto de Columbus, no Mississipi, quando tentavam pegar um voo rumo a Istambul, na Turquia, com escala em Amsterdã, conforme comunicado divulgado hoje pelo Departamento de Justiça dos EUA.

Segundo a nota, ambos os acusados confessaram que a viagem tinha como objetivo a adesão ao grupo jihadista na Síria.

O juiz Allan Alexander negou a possibilidade de ambos esperarem o julgamento em liberdade hoje, ao negar o pagamento de fiança. Acusado de apoio ao terrorismo, o casal pode pegar até 20 anos de prisão e ser obrigado a pagar uma multa de US$ 250 mil.

A investigação, liderada pelo FBI, começou em maio, quando os dois acusados postaram mensagens nas redes sociais indicando o desejo de viajar à Síria para apoiar o EI. Vários americanos foram presos nos últimos meses pelo mesmo motivo.

O recrutamento de cidadãos ocidentais para lutar ao lado dos jihadistas é uma das maiores preocupações dos EUA e da Europa por se tratarem de indivíduos com liberdade de movimentação e que, portanto, podem realizar atentados em solo americano ou europeu. EFE