Comcast anuncia compra da Time Warner Cable

  • Por Agencia EFE
  • 13/02/2014 14h02

Nova York, 13 fev (EFE).- A companhia Comcast, operadora do maior sistema de televisão a cabo nos Estados Unidos, anunciou nesta quinta-feira um acordo para a compra do grupo Time Warner Cable em uma operação avaliada em US$ 45,2 bilhões que combina as duas maiores empresas do setor.

O acordo de fusão amistosa foi aprovado já pelas juntas de direção de ambas as companhias, que dará como resultado a criação de um novo gigante dos meios de imprensa e de tecnologia líderes no setor, anunciaram Comcast e Time Warner Cable em comunicado.

Segundo os termos do acordo alcançado, que ainda precisa dar sinal verde dos acionistas e dos reguladores, a Comcast comprará 100% dos 284,9 milhões de ações da Time Warner Cable a US$ 158,82 cada título.

Trata-se de uma sobrevalorização de US$ 23,50 em relação ao preço de fechamento das ações da Time Warner Cable após o pregão de quarta-feira. O pagamento da compra será realizada exclusivamente através das ações da Comcast.

“A combinação de Time Warner Cable e Comcast cria uma grande oportunidade para nossa companhia, nossos clientes e nossos acionistas”, disse ao anunciar o acordo o presidente e executivo-chefe da Comcast, Brian Roberts.

O máximo executivo da Time Warner Cable, Robert Marcus, disse que a fusão com a Comcast oferece a seus acionistas “enormes oportunidades” para seus funcionários e uma “experiência única” para os clientes.

O novo executivo-chefe da operadora de cabo será Neil Smit, segundo detalharam as duas companhias em comunicado conjunto, no qual anunciaram sua intenção de lançar produtos e serviços novos e inovadores para seus milhões de assinantes.

A Comcast tem um total de 22 milhões de clientes de televisão, enquanto a Time Warner Cable registra 11 milhões de assinantes de vídeo, de acordo com números estimados por ambas as companhias.

As empresas competem em poucos mercados, por isso que seriam muito poucos os consumidores que veriam suas opções de operadores por cabo reduzidas como resultado desta operação, segundo o mesmo jornal. EFE