Contenção de protestos pauta maior feira de segurança da América Latina

  • Por Agencia EFE
  • 08/04/2014 19h04

Rio de Janeiro, 8 abr (EFE).- Os equipamentos que as forças de segurança podem usar para enfrentar manifestantes violentos são as maiores atrações da segunda edição da Feira Internacional de Segurança Pública e Corporativa LAAD Security, a maior de seu tipo na América Latina e inaugurada nesta terça-feira no Rio de Janeiro

Com mais de 160 expositores de 17 países, a feira abriu suas portas hoje no centro de convenções Riocentro para apresentar principalmente ferramentas de segurança para a contenção de distúrbios.

Além do Brasil, os principais países que expuseram seus dispositivos foram Israel, França, Estados Unidos e China.

Juntamente com várias empresas de segurança e armamento, os fabricantes de automóveis Toyota, Volkswagen, Renault e Ford exibiram seus carros blindados, preparados para o uso das forças de segurança pública.

Também foi apresentado um novo veículo para o Batalhão de Operações Especiais da Polícia Militar (Bope) do Rio de Janeiro, que será utilizado em casos de alto risco.

Um dos equipamentos que mais chamou a atenção foi uma máscara para policiais inspirada no personagem Darth Vader, da saga cinematográfica “Guerra nas Estrelas”, que já foi adquirida pelos governos dos 12 estados que serão sede da Copa do Mundo.

O equipamento suporta altas temperaturas e conta com um visor que não embaça e com um amplificador de voz. Segundo Beni Iachan, analista comercial da Welster Itage, empresa que criou a máscara , “o objetivo é provocar um efeito psicológico nos manifestantes ou em outros cidadãos”.

Iachan disse à Agência Efe que “a empresa entregou 1.500 máscaras no Brasil e que entregará outras 3.700 antes do início do Mundial”.

Paralelamente, a feira oferece um ciclo de conferências e seminários nos quais o assunto primordial é a gestão da segurança nos grandes eventos, algo que se notou com a presença de representantes do comitê organizador dos Jogos Olímpicos de 2016 e da PM de vários estados. EFE

aag/rsd